Antes ignorado, protocolo do Carioca passa a ser lembrado como eficaz, em meio a falhas no Paulista e Brasileiro

0 Flares Filament.io 0 Flares ×
(Imagem: Divulgação / Ferj)

Há dias e semanas o Ninho da Nação tem batido na tecla de que o protocolo ‘Jogo Seguro’ utilizado no Campeonato Carioca foi o mais bem pensado em termos de segurança para jogadores e os envolvidos em um jogo de futebol.

No Rio, todos os presentes em campo eram testados, inclusive gandula, jornalista, dirigentes, árbitros e até polícias militares. Obrigatoriamente. Sem exceção.

Na semana passada escrevemos aqui que o protocolo da Ferj foi flexibilizado pela CBF e pela Federação Paulista. Especialmente em São Paulo, a regra era não realizar testes antes de cada jogo.

E com o agravante de 26 testes que tiveram os resultados equivocados para o novo coronavírus do Red Bull Bragantino antes das quartas de finais contra o Corinthians, pelo mesmo hospital a ser utilizado pela CBF.

Com o início do Campeonato Brasileiro, logo na primeira rodada, os problemas surgiram. A demora na divulgação do resultado de testes, que foram realizados pelo hospital Albert Einstein, fez com que atletas interagissem com companheiros em viagens e concentrações – daí estas não serem recomendadas, antes de saberem que estavam contaminados. Muitos dos que testaram positivo estão sem sintomas.

No Vila Nova, de Goiás, a delegação viajou no sábado sem ter os resultados em mãos. Ao chegar em Manaus, foi revelado que um jogador viajou com a equipe foi testado positivo para a Covid-19.

Na série A, Goiás só soube dos seus casos positivos horas antes de estrear no Brasileiro contra o São Paulo. O que causou o adiamento da partida.

O Flamengo ligou o alerta e decidiu seguir um protocolo de biossegurança particular, com exames extras. A CBF realiza na quinta e o clube na sexta, para um jogo no domingo.

Além de questionar o Goiás e seus 13 atletas contaminados, a CBF deve deixar claro em quais hipóteses fará o adiamento de um jogo. Qual o parâmetro? Quantos jogadores de um time precisam ser testados positivos para a partida ser adiada. Lembrando que na série B, o CSA detectou nove atletas com o novo coronavírus e seu jogo não foi remarcado para nova data.

Infelizmente pouco de discutiu o sucesso do protocolo, simples, utilizado no Campeonato Carioca. Testagem em massa, resultado dentro do prazo e afastamento do contaminado. Somente agora está sendo reconhecido.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.