Mundial de Clubes – Final: Flamengo 0 x 1 Liverpool

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

O Flamengo volta do Mundial de Clubes maior do que entrou.

Após conquistar de forma avassaladora do Campeonato Brasileiro com 90 pontos (16 a mais do que o segundo colocado) e derrotar o River Plate na final da Copa Libertadores em uma final histórica, o Flamengo provou que pode competir de igual para igual com qualquer time do mundo.

A maior dúvida seria se o Rubro-Negro manteria suas características fundamentais, tão marcantes na temporada, diante do atual campeão europeu e do líder isolado do Campeonato Inglês.  Mesmos com riscos das bolas esticadas do Liverpool, Jorge Jesus não se furtou em manter seu estilo de jogo.

Terminou um primeiro tempo de alto nível, quando teve mais posse, mais passes, mais finalizações, mais cruzamentos e lançamentos certos, mais desarmes e mais interceptações, segundo o Footstats. O Liverppol ameaçou no começo da partida, teve pelo menos duas boas chances claras. Porém, depois o Flamengo acertou a marcação, passou a ter calma na saída de bola e viu em Bruno Henrique a melhores escapadas pela esquerda. Para bloquear as bolas longas nas costas da defesa Rubro-Negra, a cadência era a arma do time da Gávea.

No segundo tempo, novamente o Liverpool iniciou melhor e voltou a criar chances perigosas. Outra vez o Flamengo colocou a bola no chão para conter o ímpeto inglês. As saídas de Arrascaeta e Éverton Ribeiro contribuíram para a perda do meio de campo, além do cansaço de um final de temporada.

O mais importante, contudo: mesmo extenuado, o Flamengo em momento algum ficou acuado, pressionado, a espera do apito final. Por mais que o Liverpool estivesse melhor na segunda etapa, não se poderia cravar quem seria o campeão do mundo.

A entrada de Vitinho não manteve o nível elevado e Diego, como único meia, não conseguiu ser o jogador da manutenção da bola e do andamento mais vertical, em busca do gol.

Na prorrogação, o Flamengo lutou até a última gota de suor para o gol salvador. Acabou, por incrível dissabor e ironia, sofreu o gol em um contra-ataque mortal e típico do Liverpool, em uma bola que estava no ataque Rubro-Negro, onde Gabigol cabeceou para dentro da área e ninguém apareceu para completar.

Mesmo sofrendo riscos, em um segundo tempo de prorrogação, a vitória ainda não era garantida para o adversário. A ponto de Lincoln ter tido uma chance inacreditável nos segundos finais, livre, dentro da área, após jogada criada pelo Vitinho na esquerda. Era justamente o “avançado” que Jorge Jesus pedia, mas não veio.

O Flamengo foi gigante. Mostrou que está muito acima do futebol brasileiro, tornou-se a equipe a ser batida na América do Sul e diminuiu a distância em nível mundial.

A derrota foi dolorosa porque o Flamengo deu sinais dentro de campo que poderia ter vencido o jogo, coisa que era impensável em uma final do Mundial contra o campeão europeu.

Isso tudo, sempre é bom falar, foi construído após pelo menos cinco meses de trabalho de Jorge Jesus, contra quatro anos  de Klopp à frente dos ingleses.

Para o ano que vem, o trabalho será iniciado de forma tradicional, com todos os atletas tendo férias – sem precisar de emendar uma temporada com a outra, uma pré-temporada completa e um banco de reservas mais encorpado.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.