Ninho da Nação

Tostão: “O Flamengo, longe de ter a mesma qualidade individual, me lembrou do Liverpool e do Manchester City”

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Confira a coluna de Tostão, desse domingo na Folha de SP, ainda sobre o empate entre Flamengo e Grêmio, pela primeira partida da semifinal da Copa Libertadores.

Confira:

“A primavera chegou, e os ipês estão lindos pelas ruas de Belo Horizonte.

Grêmio e Flamengo foi mais que um grande jogo. Foi um palco para reflexões. Continuo o assunto, embora já tenha sido amplamente debatido e comentado.

A superioridade do Flamengo no primeiro tempo foi enorme, o que não tinha visto um time visitante fazer contra o Grêmio.

O Flamengo, compacto, com pouca distância entre o jogador mais recuado e o mais adiantado, todos articulados, próximos, pressionava quem estava com a bola e a recuperava com facilidade. O Grêmio não viu a bola.

O Flamengo, longe de ter a mesma qualidade individual, me lembrou do Liverpool e do Manchester City, times diferentes, que jogam o melhor futebol coletivo do mundo e que têm em comum a recuperação rápida da bola.

Na segunda etapa, o Flamengo diminuiu a intensidade, e o Grêmio melhorou. Faltou Maicon, que entrou na metade do segundo tempo e deu um passe preciso para Everton cruzar e Pepê empatar.

Meio-campistas, como Maicon, articuladores, que têm ótimo passe e domínio da bola, foram renegados por um longo tempo, porque não eram volantes nem meias ofensivos. Isso tem mudado lentamente.

Nos últimos anos, surgiram ótimos meio-campistas, que continuam sendo chamados de segundos volantes, como Arthur, Matheus Henrique, Bruno Guimarães e outros. Gérson, que era um razoável ou um bom meia-atacante, habilidoso, é hoje um excelente meio-campista. Sonho com um craque do nível De Bruyne no futebol brasileiro.

Os milimétricos lances que têm decidido as partidas por meio do VAR, em vez de tornar o futebol mais digital, matemático, como parecia, aumentaram ainda mais a importância do imponderável, dos mínimos detalhes e do acaso.

Por causa de um dedo do pé mais avançado, acontecem vitórias, derrotas e criam-se novos conceitos e verdades. O VAR tornou o acaso mais exato, científico. O acaso apenas trocou de lado”

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *