sexta-feira, 20 de abril de 2018

NBB 2017/18 - 3º jogo das quartas de final: Flamengo 97 (83) x (83) 92 Minas


O fantasma da eliminação da temporada passada ficou pra trás. O Flamengo fechou a série em 3 x 0 contra o Minas e garantiu a vaga na semifinal do NBB. Agora fica à espera de Mogi ou Caxias.

Após 83 x 83 no tempo normal, o Rubro Negro venceu por 97 x 92 na prorrogação.

É  a nona semifinal em dez edições do campeonato.


O JOGO

Foi um terceiro confronto duríssimo, onde a vitória parecia bastante difícil. Trabalhando bem a bola no ataque, tudo caía pelo lado do Minas. Teichmann articulava bem os ataques e Gegê e Audrei estavam com a mão calibrada. Sem reação, o Flamengo não encontrava força ofensiva e perdeu o primeiro quarto por 28 x 15.

Precisando da vitória para se manter vivo na série, o Minas continuava melhor. Com uma bola de três, Jefferson abriu 15 pontos: 35 x 20 no segundo período.

Marcando muito mal, o Flamengo não conseguia diminuir a vantagem e, forçando muitas bolas de três, foi para o intervalo perdendo por 45 x 33.

No terceiro período o Rubro Negro finalmente entrou em quadra. Com uma cesta de Varejão, o time da Gávea cortou a diferença para 48 x 52. No entanto, Gegê continuava infalível na distribuição de assistências, além de tiros certeiros, e matou de três para retornar a vantagem: 58 x 48. Até Mosso acertou de três pontos: 61 x 51.

Com uma bola de três, Cubillan voltou a diminuir a diferença: 58 x 63. Porém o ataque voltou a errar muito e o Minas foi para o intervalo com 67 x 58.

A vantagem mineira seguia entre sete e nove pontos e a vitória Rubro Negra parecia tarefa impossível, principalmente quando Varejão foi desclassificado com cinco faltas.

Esse Flamengo no basquete, no entanto, enverga o varal e precisa ser muito respeitado. A equipe perdia por nove pontos faltando exatamente 1:21 para o final do jogo: 74 x 83. Foi lá e empatou: 83 x 83 com show do Arthur Pecos, que além dos 12 pontos, incendiou e empurrou pelo empate.

Na prorrogação, brilhou a estrela do Marquinhos, que simplesmente colocou a bola em baixo do braço pra garantir a classificação.

Ele que tinha 5/27 pontos até o terceiro quarto e fazia uma partida apagada, irreconhecível. Porém, no quarto final e na prorrogação acertou 16/17 pontos. Dos 14 pontos do Flamengo na prorrogação, simplesmente 12 foram do MVP do campeonato.

E o Rubro Negro garantiu a vaga na semifinal fechando por 97 x 92.


DESTAQUES

Nada menos do que seis atletas terminaram com dois dígitos na pontuação: Marquinhos com 21 pontos, cinco rebotes e cinco assistências; Pecos com 16 pontos; Varejão com 14 pontos; Cubillan com 14 pontos e cinco assistências; Rhett com 11 pontos e cinco rebotes e JP Batista com 10 pontos, seis rebotes e quatro assistências,

15 comentários:

Barreto disse...

Para a próxima temporada o Flamengo tem como dever de casa melhorar a marcação no perímetro. O jogador que virá para o lugar do Marcelo deverá ter esta característica Nos momentos em que a marcação precisa ser mais forte a duola Pecos/ Cubillan normalmente funciona, mas José Neto custa muito a adotar esta formação.

Gustavo Pereira disse...

Vitoria no peito e na raça, mesmo jogando mal, com a cara do Flamengo que aprendemos a amar. Orgulho da Nação !

Anônimo disse...

Só para nível de informação - Mogi e Caxias está 2x0 para o Mogi!

Antônio Neto disse...

Confesso que chegou em um momento da partida que eu já tinha perdido as esperanças, mas felizmente para minha surpresa os jogadores lutaram e acreditaram até o fim.

Depois daquele jogo contra o Paulistano e agora esse de ontem acho que já deram motivo mais que suficiente para a torcida não duvidar da capacidade de reação dessa equipe.



DAVID disse...

Acho esse elenco muito qualificado. Para próxima temporada ganhando esse NBB ou não só traria um jogador jovem de boa qualidade e pontuação alta pro lugar do Marcelinho(não deve ser difícil porque Marcelinho não deve ganhar pouco), um para o lugar do Mogi que achei bem fraco e um com características parecidas com o Pilar e mais novo.De resto mantinha todo mundo. Quem tem feito um campeonato espetacular é o Cauê Borges do Caixas. Valia a pena tentar. 2º cestinha do campeonato.

Anônimo disse...

O que me chama atenção é a postura dos líderes do time. Todos detestam perder, ficam indignados quando erram, não aceitam quando a arbitragem comete erro. Era visível o incômodo do Marquinhos com o seu próprio desempenho no tempo regular, o Olivinha - que também não fez um bom jogo - incentivando o time até o final, a vibração dos jogadores, o Varejão puto porque foi eliminado sem concordar. É normal e compreensível que por vezes o nível de concentração caia, que os jogadores relaxem, mas sempre foi um time que detesta perder, e isso conta muito.

No futebol, o contrário...

Barreto disse...

Acho que o Ramom é um bom jogador mas se o Flamengo quiser subir o nível para a próxima temporada terá que contratar um jogador melhor para a posição 2. Não renovaria com o Ramom porque não tem sentido manter um jogador apenas para fortalecer a rotação sendo ele estrangeiro. Com relação ao Cauê Borges , considerando a sua trajetória em todas as temporadas, acho que seria uma aposta que apenas faria sentido para compor a rotação. O Flamengo precisa de alguem melhor para assumir a posição2.

Joanilson Silva disse...

Vi esses ultimos jogos do Caue e ainda não vi esse basquete acima da media, parece ser bom jogador, mas para o nivel de investimento e titulos que o Flamengo deseja não agrega tanto ao elenco, temos que pensar no futuro.

Um q gosto muito é o Ramon e tbm tenho a mesma posição sobre ele, para estrangeiro agrega muito pouco e o mesmo para o Rhett, outro q agradeço o esforço e um muito obrigado e tchau.

Por tudo q o Marcelinho entregou esse ano, praticamente vencendo alguns jogos será necessario trazer algum jogador acima da media para substituir e manter o time brigando por titulos e ano q vem vamos em busca do bi mundial.

Barreto disse...

O Flamengo não pode se dar satisfeito apenas com o que já é bom e sim pensar sempre na melhoria contínua. Dentro deste contexto cabe a seguinte pergunta: Vale a pena manter no elenco estrangeiros que não fazem a diferença? Responderia a esta pergunta com uma ponderação, dizendo que mesmo que não façam a diferença ( como o Nico fazia) devem ser jogadores bons e com muita regularidade, característica essa que nenhum dos 3 estrangeiros do Flamengo possui. Mesmo pensando somente em que joga no Brasil, acho que há jogadores que, mesmo que não possam fazer toda esta diferença, já entregariam bem mais do que os atuais e talvez com salários bem mais interessantes para o clube.. Citaria apenas como exemplo jogadores não veteranos que podem jogar nas posições i ou 2 ou em ambas: DerYk ,David Rosseto, Kendall Anthony, Fuller e Holloway. Na Argentina então, há um leque enorme de possibilidades para estas posições. O Flamengo tem muita gente competente na sua direção técnica e administrativa do Basquete para melhorar o nível de contratação de jogadores estrangeiros, coisa que o Macaé e principalmente a Liga Sorocabana já fazem desde longa data. Goataria de ouvir a opinião dos meus companheiros aqui do blog sobre esta questão de estrangeiros.

Flavio França disse...

Bom!!! Em relação a esta questão dos estrangeiros, concordo com os amigos que o Ramon não está entregando o que se esperava. Mesmo em uma temporada onde ele pode jogar o tempo todo na sua real posição, não foi o gatilho que deveria ser. Já está há bastante tempo no clube e não vejo evolução. Quanto a Rhett e Cubillan, penso que devemos mantê-los para a próxima temporada. Dificilmente um jogador vindo de fora já chega arrebentando. Precisa de pelo menos uma temporada para se adaptar. Existem vários exemplos nesses longos dez anos de NBB. Um claríssimo é o David Jackson, que chegou ao Flamengo e na sua temporada de estréia foi bem discreto para depois arrebentar em outros times.

João Paulo disse...

Creio que dificilmente a final do NBB 10 não será entre Flamengo e Bauru, diante disso, essas equipes devem terminar a temporada na segunda semana de junho – só daqui um mês e meio.
Tendo em vista que times cheios de medalhões já ficaram pelo caminho e encerraram a temporada, o mercado nacional já deve estar ativo.
Elencos do Vasco, Vitória, Pinheiros e Franca (esse menos da metade do elenco o contrato vence agora) mais o Ricardo Fischer estão disponíveis, aguardando a ação dos clubes.
Além desse quadro, ainda tem o agravante que Brasília e Corinthians devem montar equipes bem fortes para o próximo NBB se passarem pela Liga Ouro. Eu vi a entrevista do presidente do Timão no lançamento da equipe de basquete afirmando que o Corinthians não entra em nada pra não ser protagonista.
Quem deixar para se mexer só depois que a temporada terminar, vai contar apenas com a disponibilidade do próprio elenco ou com nomes encalhados oferecidos pelos agentes.
O Flamengo montou nesta temporada um grande elenco, mas poderia ser melhor ainda, ao invés de renovar com o Ramon, poderia ter trazido o Deryk Ramos, aliás, este último, o Flamengo o perdeu diante de dois desmanches, o do Limeira e depois do Brasília, agora já era, ele fechou com o Paulistano por três anos.
Quem atada o bolo primeiro garimpa as cerejas.

Barreto disse...

É claro que o Bauru pode ganhar do Paulistano, mas, no momento o Paulistano é muito mais time,
Caso O Flamengo vá a final, acho que o Bauru seria o adversário ideal para o Flamengo.

João Paulo disse...

Ficou empolgado com o jogo ontem, hein?
No momento o Flamengo tem que se preocupar com o Mogi.
O Paulistano é melhor, tem o melhor ataque e eficiência da competição, diante desse quadro é melhor até que o Flamengo.
Mas vejo o Bauru um momento melhor, fora que nos últimos cinco confrontos entre essas equipes pelo NBB o Bauru venceu quatro.

João Paulo disse...

Caio Torres retornará contra o Flamengo amanhã, contudo, estará sem ritmo e deve atuar bem pouco.

Barreto disse...

Nos momentos mais difíceis JP e Marquinhos, principalmente este último, têm aparecido como expoentes. Está na hora do varejão aparecer também para fazer a diferença, já que até agora esta diferença não apareceu.