quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A falta de ambição do Flamengo no Brasileiro: selecionáveis chegam apenas na quinta-feira

Pela primeira vez desde que chegou, Reinaldo Rueda teve dias livres para tentar imprimir seu estilo de jogo, após sua contratação em meio ao furacão da Copa do Brasil.

Neste meio tempo, finalmente tivemos a saída do presidente Bandeira de Mello da direção de futebol e a chegada de Ricardo Lomba. O que não deve ocasionar em nenhuma mudança à curto prazo.

Não se deve também criar muita expectativa pelo tempo que o colombiano teve para treinar, especialmente por não poder contar com dois jogadores primordiais neste time: Cuellar e Guerrero. 

Ambos estiveram com suas seleções. Por grande infelicidade e desleixo pelo Brasileirão, o Flamengo não fretou nenhum voo para os jogadores chegarem nesta quarta-feira. Conclusão: vão chegar na quinta-feira pela manhã e, salvo grande insistência por parte dos atletas, não entrarão em campo para enfrentar o Fluminense às 17h.

Ano passado, Gabriel Jesus voltou para o Palmeiras em voo fretado após uma partida pelas eliminatórias. A seleção brasileira enfrentou a Venezuela fora de casa em uma terça-feira, dois dias depois, o atleta entrou em campo pelo alviverde.

Já teve caso do Jesus jogar pela seleção em Manaus e no dia seguinte pelo Palmeiras em São Paulo. O atleta seguiu de jatinho fretado com botas de compressão nas pernas e sob os cuidados de um fisioterapeuta. Quer dizer, toda estrutura montada para o craque do time que liderou e foi campeão brasileiro.

Não dá para entender um clube que passou da barreira dos R$ 633 milhões em receitas na temporada não fazer esforço para ter em campo seus selecionáveis.

Segundo o Globo Esporte, nesta quarta-feira, Guerrero concedeu coletiva no Peru para promover um evento social da marca de uma vitamina. A duração da viagem Lima-Rio é de apenas cinco horas. Se tivessem fretado um voo depois do jogo pelas Eliminatórias, o atacante já estaria aqui na manhã de hoje e poderia estar em campo nesta quinta no Maracanã.

É bom ver o Rubro Negro com jogadores convocados por suas seleções, todo mundo ganha nessa, o que precisa acontecer é ser montada uma logística para garantir a presença desses atletas no clube que paga seus salários. O que não acontece ainda no Flamengo.

Além disso, o elenco precisa ser melhor montado para cobrir eventuais faltas. Guerrero, por exemplo, vai disputar a repescagem lá na Nova Zelândia, dia 6 de novembro. Sendo que no dia 1º tem o segundo e decisivo Fla x Flu pela Sul-Americana. Depois, dia 4 tem Grêmio pelo Brasileiro, dia 8 tem Cruzeiro, dia 11 Palmeiras e dia 14 o jogo de volta do Peru pela repescagem.

Já pensou o clube disputando o título do Brasileirão pra valer, e tendo que escalar Vizeu nesses clássicos? Ou improvisando Paquetá?

Que já comecem a pensar em alternativas para o ano que vem. Ter jogadores convocados é excelente, problema é quando não sabem planejar e o time fica desfalcado por conta disso.

7 comentários:

Pedro Monteiro disse...

Não entendo como pode haver, durante tanto tempo, tipos de administração tão distintos dentro do mesmo clube : Independente de ganhar ou perder, a diferença da administração média entre o basquete e o futebol no Flamengo é abissal, durante todos esses anos.

João Paulo disse...

Os clubes do Rio historicamente sempre foram assim, não tem o mesmo espírito competitivo dos outros estados, principalmente SP. No ano passado o Palmeiras colocava um jatinho à disposição do Gabriel Jesus, que, as vezes era capaz de jogar em um dia pela seleção e no outro pelo Palmeiras. Enquanto o Gerrero as vezes nem na partida seguinte a seguinte ele jogava.
No ano que vem o Flamengo vai continuar a contratar e reformular elenco, e o tombo vai ser cada vez maior.
O presidente insiste em achar que basta condicionar bem o clube de grana que o resto é consequência.
Passados 5 anos o que se viu foi o contrário.

CBM disse...

Não era o Palmeiras que colocava o jatinho, era o presidente do Palmeiras que colocava o jatinho dele a disposição para pegar um jogador na seleção.
O Flamengo não tem jatinho. Teria que fretar um jato para pegar Guerrero e o Trauco no Peru e outro jato para pegar o Cuellar, fretar 2 taxis aéreo para 3 jogadores, não me parece razoável. Claro se houver algum Flamenguista fanático que deseje colocar um jato para fazer o cata dos jogadores do Flamengo nos países da América do Sul nas datas FIFA seria o ideal, mas é uma situação de exceção.

André Amaral disse...

CBM

Se esse é o argumento da diretoria fica ainda mais bizarro. Orçamento bateu os R$ 633 milhões. Não pagaram então pra economizar?

Josiana Ribeiro disse...

CBM, os 3 estavam no mesmo jogo não precisaria de um segundo jatinho. So precisa entender o que o Flamengo quer de verdade so fingir q ganha dinheiro jogando no ralo outro monte por fazer pouco caso dos campeonatos q disputa ou realmente ganhar dinheiro disputando e levando a serio as competições, pois ser campeão garante maior visibilidade.

Barreto disse...

Só não podemos esquecer que o elenco não é tão bom como muitos acham. Há vários jogadores ruins e medianos e nenhum que realmente faça a diferença.

João Paulo disse...

O grande enigma do flamenguista hoje é decifrar se o Muralha defenderia o penalti do Everton Ribeiro?