sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Basquete, pré-temporada, erros e Arena Multiuso: um papo com Alexandre Póvoa

Às vésperas do Flamengo iniciar mais uma temporada, o blog entrou em contato com o vice-presidente de esportes olímpicos, Alexandre Póvoa, para uma entrevista sobre os principais assuntos.

Confira:

O Flamengo começa a temporada na próxima semana. Após quatro títulos brasileiros seguidos, o basquete não levantou nenhum troféu. O que mudou de planejamento para essa temporada que começa? O que foi feito de errado - ou que não deu certo em 2016/2017 e não pode acontecer para 2017/2018?

Antes de entrar na resposta em si, apenas uma correção. Disputamos somente dois campeonatos na temporada 2016/17: O Estadual e a NBB. Ganhamos um e perdemos outro. Mas foi um ano realmente esquisito, muita coisa deu errado.

 Primeiro aquele Estadual deprimente, com a FBERJ mudando local de partidas na véspera como se fosse um torneio amador e com duas partidas finais com portões fechados e WO na última. Um verdadeiro desserviço ao esporte, péssimo exemplo. Até hoje o nosso adversário que não compareceu à final não foi denunciado, para vermos o nível da coisa.

Graças à irresponsabilidade da CBB, ficamos fora da Liga das Américas. Um verdadeiro paradoxo que, exatamente o C.R. do Flamengo, que ganhador de diversos prêmios de governança corporativa nos últimos anos, tenha ficado fora da competição mais importante do ano exatamente pela má gestão alheia. Essa não-participação abalou muito todos nós. Foi um baque no grupo que estava super-motivado para a competição. Vínhamos de quatro conquistas de NBB seguidas e a última derrota na Liga das Américas, naquele jogo contra o Bauru (o pior episódio do basquete rubro-negro nos últimos 5 anos) em Barquismeto, estava engasgada (e continua) na nossa garganta. Sem dúvida, ganhar a Liga das Américas para voltarmos a disputar a Copa Intercontinental era o objetivo maior do clube.

Portanto, afirmo que a não participação na Liga das Américas ajudou a quebrar o nosso planejamento. Mesmo assim, fomos para a NBB e conquistamos o primeiro lugar na fase de classificação (pela quarta vez dos últimos cinco anos – engraçado, o melhor time que tivemos ficou em terceiro lugar na temporada de 2014/15). Ganhamos as duas primeiras partidas do playoff e veio a desclassificação inesperada com 3 derrotas seguidas, sendo duas dentro de casa.

Inaceitável, não tem desculpa. Evidentemente houve erros de todas as partes. Vamos a eles: Primeiro, a data de apresentação da equipe no final de agosto, por conta das Olimpíadas. Fizemos isso porque não tínhamos quadra (estava sendo usada pela NBA) e parte da Comissão Técnica estava nos Jogos. Acreditamos que o tempo de preparação para a temporada seria suficiente. Erramos.

Além disso, para prestigiar a LNB - e porque havíamos contratado jogadores sub-22 para rejuvenescer a equipe - aceitamos disputar a LDB em um sistema exaustivo fisicamente, com vários jogos em dias seguidos. O time não estar preparado – começou a treinar tarde também - o que colaborou para uma série de contusões que atrapalharam muito nossa temporada.

Além disso, um jogador adulto se apresentou machucado. Foi punido, mas de nada adiantou, o prejuízo ao grupo estava dado. Outro atleta, o Fischer, também sofreu com contusões durante o ano, muito além do que a nossa comissão técnica havia projetado.

Além disso, erramos no nome da contratação pontual de janeiro. Tínhamos uma ideia técnica e tática e o atleta não correspondeu. Não temos o menor problema de reconhecer isso.

Mesmo assim, com todos os erros, ficamos em primeiro na fase de classificação. Ganhamos os dois primeiros jogos e acho que nosso erro maior foi no terceiro jogo, quando o time achou que poderia “ter vencido quando quisesse”. Faltou um pouco de humildade ali. Depois, Pinheiros ganhou moral e não conseguimos mais jogar. Faltou também sangue nos olhos, sem querer tirar o mérito do adversário, não podemos aceitar aquelas derrotas como normais.

Nesse ano, começamos a treinar no dia 01/08. Abrimos mão do Campeonato Carioca que, para ser disputado naquela tensão de torcida única e sem os ginásios olímpicos, é melhor que seja cancelado mesmo. Estamos fazendo uma pré-temporada muito mais intensa. Conversamos com a Comissão Técnica e lavamos a roupa suja e todos reconheceram os seus erros, do roupeiro ao Vice Presidente.

Nosso time tinha uma defesa muito vulnerável no ano passado. Tentamos corrigir isso na formação do elenco para a atual temporada. Alguns jogadores foram dispensados para abrir espaço para novos nomes. Após perdermos, depois de tanto tempo, precisávamos oxigenar o elenco com jogadores com características mais defensivas.

O mais importante: Os adversários conseguiram, depois de quatro anos, ganhar da gente. A sede de vitórias tem que ser dobrada nesse ano. Se existia algum motivo para acomodação, ele acabou no encerramento do jogo contra o Pinheiros no Tijuca, que marcou aquela dura eliminação. Temos que reconquistar o que é nosso de direito, já que o Flamengo tem que ganhar sempre. O primeiro desafio é o Sul Americano.


De que forma, como foi feita a avaliação, a observação, a análise do basquete Rubro Negro para chegar às contratações do Arthur Pecos, David Cubillan e MJ Rhett. Fale sobre esses jogadores, por gentileza.

Desde a saída do Nico, temos tido problemas no setor de armação. Não achamos que o Rafa Luz tenha feito uma grande temporada em 2015/16. No ano passado, trouxemos o Fischer para resolver e ele simplesmente não conseguiu jogar com problemas físicos recorrentes. Resolvemos priorizar a posição, por isso, priorizamos a vinda do Pecos, que veio sendo observado durante muito tempo e o Cubillan, atleta conhecido que jogou as Olimpíadas e ainda por cima teve referências excelentes (técnicas e pessoais) do Rubem Magnano, que o treinou no Trotamundos da Venezuela.

O MJ Rhet foi indicado a partir de conversas com uma rede de técnicos estrangeiros com quem nossa Comissão Técnica mantém contato. Passamos a observá-lo em vários jogos no Campeonato da República Dominicana e ficamos bastante impressionados com a explosão dele. É um jogador diferente, tem 25 anos, com sonhos ainda grandiosos. Ambição é tudo que queremos, saindo da mesmice de trazer jogadores norte-americanos mais velhos. Vai dar certo.

Cabe lembrar que, antes de contratarmos, além da decisão técnica, fazemos uma intensa pesquisa sobre o jogador com treinadores, atletas e pessoas que o conhecem o atleta pessoalmente. Sempre procuramos falar também com os próprios jogadores, a despeito do empresário. Quanto a isso, posso me orgulhar de dizer que em 5 anos, podemos até ter tido decepção com atletas contratados dentro da quadra, mas nunca erramos em relação ao profissionalismo de cada um.

Aliás, para não dizer que toda regra não tem uma exceção, vou contar um segredo: o único jogador estrangeiro que nos deu alguma dor de cabeça nesse tempo todo (nada grave...) foi o Derick Caracter em 2014. Acho que para uma temporada inteira, não daria. Mas fazendo aquela primeiro jogo excelente que realizou contra o Maccabi Tel Aviv, está totalmente perdoado! Sem ele, não teríamos sido campeões mundiais.


O Flamengo sofreu com problemas físicos de alguns jogadores na temporada passada. Humberto, que continua, foi um dos que não conseguiu jogar. Qual o planejamento e a expectativa para esse jogador? 

Que ele seja o Humberto do Pinheiros da temporada de 2015/16, que o levou à seleção brasileira e à nossa contratação. Um ótimo marcador e um atleta que, jogando de 2 ou de 1 pode, com sua força física, desequilibrar a defesa adversária. Demos todo o apoio a ele em sua recuperação em uma temporada em que não teve sorte. Chegou a hora de ele responder. Ele está seguindo o planejamento individualizado da comissão técnica para fazer uma grande temporada. Chegou a hora de ele mostrar que pode fazer sucesso em um clube como o Flamengo. Confiamos nele e ele será cobrado por isso.


Pilar será o próximo e último reforço?

Essa eu passo. Só comentamos qualquer dispensa ou contratação “quando e se” efetivamente ocorrer. Até por respeito ao grupo.


Além do torneio no Peru, como o Flamengo vai se preparar para chegar bem na disputa pela Liga Sul-Americana?

Continuaremos treinando forte nos próximos 15 dias para entrosar os novos reforços. Nos dia 26 e 27/09 faremos dois amistosos contra o Vitória na Gávea. Seria melhor que nossa chave fosse um pouco mais para frente em outubro, mas não podemos escolher. Vamos com tudo para a Colômbia para trazer uma das duas vagas.


O San Lorenzo foi para a Espanha disputar contra Real Madrid e Barcelona. O que falta para o Flamengo chegar lá? Ou até organizar quadrangulares ou torneios amistosos desse nível? 

 Seria espetacular, tal qual fizemos os jogos da pré-temporada da NBA. Vou contar outro segredo que poucos sabem: nesse ano, iríamos de novo para os Estados Unidos, éramos a equipe escolhida da América do Sul. Infelizmente, o convite não se concretizou por conta do problema da CBB, já que a NBA e a FIBA tem um pacto de boa convivência. Isso é mais uma parte do incalculável prejuízo que essa maldita suspensão causou ao Flamengo.

Quanto a ir jogar por conta própria na Europa ou organizar torneios no Brasil, seria fantástico, tudo isso passa por orçamento. Precisamos do Marketing. Espero termos recursos no próximo ano.


Por fim, teremos em setembro a votação da Arena Multiuso na Gávea pelo CODE?

 O Mc Donald´s está, já há dois meses, em um já longo processo de due diligence no Flamengo, trocando dezenas de documentos, o que é comum e mandatório nessas parcerias de longo prazo, sobretudo no caso de empresas multinacionais.

Acreditamos que essa parceria já esteja selada em mais 20/30 dias e, ao longo do mês de outubro, o contrato possa ser apreciado e votado no CODE. Não temos como precisar datas porque o processo não depende apenas de nós, mas o mais importante é que os termos do acordo já estão alinhados entre as duas partes, o que é mais importante, mas estamos seguindo a burocracia.

Continuamos na expectativa de que no começo de 2018 o sonho da nossa Arena Multiuso comece a sair do chão.

20 comentários:

Anônimo disse...

Excelente entrevista, André! Como sempre, grande matéria do blog.
Acho que pra essa temporada todos esperávamos um pouco mais, nomes mais fortes, principalmente devido às contratações do Vice.
De qualquer forma, Cubillan e Pecos foram excelentes contratações, acho que dificilmente poderíamos ter contratado dois armadores melhores.
Quanto ao Rhett, eu gostei dos videos que vi, mas tem gente reclamando que os campeonatos que ele jogou eram fracos, por isso o destaque. Vamos ver, ele é jovem, como o Póvoa falou, ainda tem ambição e é muito atlético. Acho que a rapidez e a explosão dele podem complementar bem o JP, que é mais lento.
Pilar é um jogador de mediano para bom, mas é o que tem de melhor disponível para nossa necessidade, cabendo no nosso orçamento. Quem não queria Varejão ou Splitter? Mas Pilar é agregador, passa bem e defende bem, dará um descanso ao Olivinha. Se vier, somará.

Continuo achando que nosso time está na briga pela primeira posição, com Bauru, Mogi, Vasco e Franca, e acho que temos mais vantagem do que todos eles, mas a distância tem diminuído ano a ano.
Sei que alguns aqui vão comentar dizendo que estamos atrás desses times, mas queria lembrar algumas coisas:
1) Nosso time ano passado foi o melhor da fase de classificação;
2) Provavelmente vamos melhorar muito na armação com o Cubillan, e o Ramon passará a jogar mais de escolta, diminuindo os minutos do Marcelinho. Metade de nossos problemas na defesa começaram na péssima temporada de Fischer, Pedro Rava e Humberto.
3) Cubillan é um excelente chutador de 3, e estará ao lado de Ramon (mais de 40% de aproveitamento) e Marquinhos. Vamos abrir mais as defesas neste ano, ficando mais fácil pros homens de garrafão.
4) Estamos trocando apenas o armador titular (Cubillan), temos mais entrosamento que a maioria dessas equipes, isso faz diferença.

Acho que ainda somos os melhores no Brasil, mas na América, provavelmente estamos atrás de San Lorenzo e Guaros de Lara, pelo menos. Vamos torcer!
Paulo Jr.

Thiago Cavalcanti disse...

Belo comentário. Acho que esse ano retomaremos nosso lugar. Espero clássicos bem disputados e o time jogando com a raça habitual. Estou animado para ver os novos reforços e se o Pilar vier, somará bastante.

Barreto disse...

Paulo Jr, como sempre vou repetir: seus comentarios são sempre muito bons. Também acho que o Fla ainda tem o melhor elenco. Realmente o JP teve uma fraca temporada anterior. Uns dizem que foi sobrepeso outros afirmam que treinava pouco. JP mesmo quando era jovem sempre foi um pouco lento. Se considerarmos todos o fundamentos de um pivô,mesmo com sua idade, ainda è o mais completo jogando por aqui.Para quem joga ou jogou ou acompanha o basquete com constância, fica fácil notar o seu jogo de pernas próprio de quem fez uma base forte em uma das maiores times universitários dos EUA, além de possuir grande eficiência nos arremessos de média distância

Barreto disse...

Para quem interessar o Esporte Interativo está transmitindo agora a final do europeu de basquete: Eslovênia x servia

Marcel Pereira disse...

Póvoa,
A meta para este ano foi recompor a defesa, e o contrato de um jogador de 42 anos que já não marca mais nada foi renovado?
O resultado de ontem é um bom exemplo de como o planejamento de contratações desta temporada foi muito mal feito! A derrota para o Bahia Blanca é a derrota para um time que não foi nem Top 8 na Liga Argentina passada!! Foi vice da última Liga das Américas pq os brasileiros não jogaram. Mas já não tem os principais nomes desta campanha...
Nosso planejamento antes era para estar um passo a frente dos times do NBB e igual aos melhores da LDA. Hoje estamos nivelados com os melhores do NBB é um passo atras dos melhores da LDA...
Marquinhos e JP Batista seguem muito inconsistentes, como na temporada passada. Marcelinho é o dono do time, é só por isso ainda mete as bolinhas de três dele, mas é uma avenida larga na defesa.Faltou ousadia para ter um pivô top de linha.
Com a ousadia de outras temporadas, ganharíamos a Liga Sul-Americana Americana com as mãos nas costas... Agora, pode ser até que ganhe, como o NBB, mas só se ser tudo muito certo, pq tem vários do mesmo nível...
Péssimo planejamento!!!!!!!

Barreto disse...

O Flamengo não tem mais orçamento para ter time superior aos demais concorrentes e deve ter a humildade para saber que tem outros times do mesmo nível.A diretoria não vai assumir isso é jogar a toalha. Chegaram a anunciar que o Fla tinha fechado com a Uber mas até agora nada. Já foi o tempo em que se contratação jogador argentino a bom preço e isto acabou. A questão é muito mais ampla
A nossa moeda está enfraquecida. Cheguei de Buenos Aires semana passada
Lá um cafezinho está custando 10 reais em Coca-Cola 12,00. Ficar pensando em superioridade das temporadas anteriores è soberba e falta de banho de realidade. Fazer análise do Flamengo pensando em competição internacional atualmente é perda de tempo e falta de objetividade. Nenhum time Brasileiro irá ganhar qualquer competição internacional nesta temporada.

Antônio Neto disse...

Marcel, eu acho que é muito cedo para dizer que o planejamento foi péssimo, mas você tem razão de criticar essa derrota contra o Weber Bahia (um time recheado de jogadores jovens). É frustante você ver o Flamengo encontrando dificuldades para ganhar contra o Unifacisa e perdendo para um time argentino com vários jogadores de 22 anos ou menos.

E enquanto tamos jogando um torneio no Peru, o San Lorenzo foi lá na Espanha e bateu os times "B" do Barcelona e do Real Madrid.

Marcel Pereira disse...

Barreto... Dava para ter coisa melhor com o orçamento que tem, sem nem precisar aumento... O resumo da ópera é: vão sacrificar uma temporada do Flamengo para dar em troca uma temporada a mais de despedida para o Marcelinho... Foi isso... Tira o salário dele da folha e cabia um 5 top e o time estaria defensiva e ofensivamente muito mais forte.

Barreto disse...

Prezado Marcel. A questão do Marcelo não tem cunho apenas técnico mas também emocional . O clube considera que Marcelo è o maior jogador da sua história. Muito difícil dispensá-lo quando ele anuncia a sua aposentadoria. Neste aspecto eu penso como você, mas entendo a diretoria.

Paulo disse...

Eu concordo com o pessoal que esta reclamando, acho esse time muito limitado e envelhecido ... bem inferior ao Vasco por exemplo , alias não entendi esse estratégia quando os rivais entram como times de basquete , nos enfraquecemos o nosso , ok não tem dinheiro (vindo do basquete) tire um pouco de outra área temporariamente , mas não deixe o time em desvantagem para o rival logo de cara. É o comercial / Mkt , podia dar uma atenção maior para isso , não é possível que o basquete com a visibilidade atual não consiga fechar um patrocinador master de camisa .


Anônimo disse...

Pilar foi contratado pelo Flamengo.

Barreto disse...

Normalmente o torcedor, principalmente o do Flamengo, não consegue fazer analises mais criteriosas por ocasião de derrotas. O torcedor é assim e não tem qualquer obrigação de ser diferente., mas neste caso específico após a derrota contra o time argentino no Peru é muito precipitado . Lembrem-se que O flamengo tem 3 jogadores que acabaram de chegar e portanto sem qualquer entrosamento, notadamente o Americano e o Venezuelano. As pessoas ainda não conseguem entrar na realidade que vivemos aqui no Brasil e querem que o Flamengo
a qualquer custo tenha o mesmo potencial financeiro que tinha há uns poucos anos. Esquecem que times tradicionais como o Limeira e o laureado Brasilia fecharam as portas. Contratar um jogador argentino, por exemplo hoje, é tarefa inglória. Há quatro anos atrás o Flamengo podia trazer para a mesma temporada um ou dois jogadores deste país, com extrema facilidade . Atualmente isto ´ é inviável pela inoperância da nossa moeda. Acabei de informar ainda hoje que um cafezinho está custando cerca de 10 reais em Buenos Aires. Os melhores times de basquete do nosso país, na atualidade, são inferiores aos correspondentes argentinos, situação que era exatamente oposta há uns quatros anos. Hoje as grandes promessas do nosso basquete são aglutinadas em uma copa América e vivenciam uma discrepância técnica enorme em relação às promessas argentinas. Brazileiros preferem jogar a segunda divisão da Espanha do que jogar no Brasil. A queda no investimento do Flamengo no basquete é reflexo da queda econômica no País. Muitos acham que o flamengo não deveria renovar com o Marcelinho para dar folga no orçamento. Eu também acho isso, mas entendo a posição da diretória. A questão neste caso não pode ser técnica apenas. Muito difícil dispensar um jogador, tido pelo clube como o maior jogador de basquete da sua história exatamente no ano em que ele anuncia a sua aposentadoria. As opinões devem ser respeitas mas o fanatismo muitas vezes distorce dados apresentando informações infundas.Por exemplo estão afirmando que o elenco do Flamengo é mais envelhecido do que o Vasco. Prefiro aguardar um pouco mais para analisar as potencialidades deste time atual. Que me desculpem os flamenguistas apaixonados e impacientes, mas acho que ainda não há um conjunto de dados e observações suficientes neste início de temporada para avaliar a qualidade deste time.

Antonio Ferreira disse...

A temporada nem começou. Vamos aguardar um pouco. A contratação do Pilar foi boa. No atual estágio do mercado... Vamos ver como o time se sai no Sul Americano, depois de duas semanas de treinamentos. Concordo com o Barreto, depois poderemos avaliar melhor

Antônio Neto. disse...

Gostei da contratação do Pilar, é um jogador que nos quesitos garra e determinação lembra muito o Olivinha, além disso é um jogador muito útil para qualquer treinador, pois ele pode desempenhar até mesmo 4 posições diferentes na quadra.

CBM disse...

Detalhe o time venceu o mesmo time argentino dias antes. Dizer que o time do Flamengo é mais velho que o Vasco????? Com Murilo, Giovanoni e Companhia????
Arthur Pecos, Humberto, Rathet são jovens. O Ramon não é veterano. O mais velhos são o JP e o Marcelinho.
O time está lá para treinar e se preparar, jogo oficial mesmo é só daqui a 15 dias.

Barreto disse...

CBM

Torcedores são passionais e alguns blogs de torcedores também são. Ter uma opinião precipitada ou exageradamente negativa sobre o time é direito de todos , sem dúvida. Todavia há horas em que os comentários distorcem até dados reais, que não estão sujeitos a opinião como este de comparação entre o envelhecimento dos times do Flamengo e do Vasco, destacada por você. Não precisa nem somar as idades de cada elenco e compará-las, basta apenas verificar que somente nos dois armadores de cada time, o Vasco é 22 anos mais velho. Assim é o torcedor, cria até o que não existe com a sua agustia desenfreada.

Barreto disse...

Alguém sabe explicar porquê o Guaros de Lara disputa a liga sul americana e a liga das Américas? Achava que não era permitido.

Marcel Pereira disse...

Barreto,
O critério de representantes é definido pelas federações nacionais. Não é só a Venezuela, no Uruguai muitas vezes já houve indicação do campeão nacional nas duas competições.
Entre Brasil e Argentina é que há um pacto de palavra de mandar os primeiros à Liga das Américas e os seguintes à Liga Sul-Americana....

Barreto disse...

Marcel


Obrigado.
Na última temporada, se não estou enganado, o Guaros disputou a liga sul americana com um time bem mais fraco do que o da liga das Américas,

Barreto disse...

Vamos creditar a vitória de ontem principalmente aos jogadores Pecos, Ramon e JP e também ao Justin Keenan com aquela atuação ridícula e uma pança de causar inveja. Disseram que, ontem, o João Vitor marcou muito bem o pivô grandalhão Justin Keenan que tem apenas 2:02.É uma gafe justificável pela empolgação da vitória.