quinta-feira, 5 de março de 2015

As boas partidas de Jonas. E o que precisa para o time funcionar com três volantes


O volante Jonas estreou contra o Brasil de Pelotas na metade do segundo tempo. Foi o titular contra o Botafogo sendo o melhor dos três volantes. Distribuiu 26 passes certos e errou apenas um, além de sete desarmes.

No amistoso de ontem, levando-se em conta a fragilidade do adversário, novamente foi um dos destaques e apresentou um novo recurso: um chute excepcional e outro chute que passou por cima. No Sampaio Corrêa não marcou nenhum gol, vejam vocês.

Era tudo que o Flamengo precisava, principalmente se Luxemburgo continuar tentando fazer o time jogar com três volantes.

Jonas fez o que Canteros não conseguiu exercer contra o Botafogo, por exemplo. E olha que a qualidade técnica dos dois é desigual.

Com três volantes, Luxemburgo terá que fazer um destes jogar mais avançado, chutar mais a gol, chegar na área nos cruzamentos. Tudo isso que Canteros não está fazendo, resultando em um time que ataca com pouca gente na frente.

Domingo, no clássico, o Flamengo cruzou 36 bolas pra área e acertou apenas três! Ora os cruzamentos eram mal feitos, ora ninguém chegava na área. Gabriel não alcançou, Alecsandro nem viu a cor da bola e o artilheiro do time na temporada, Marcelo Cirino, dessa vez jogou mais nos lados do que de nove. E os volantes de surpresa? Nada!

Pelo menos no treino de hoje Luxemburgo já voltou com dois volantes - Márcio Araújo e Canteros e entrou com Mugni. Não escalaria o argentino, mas é bom ver que o treinador não insistirá nos três volantes.

Márcio Araújo fez bons jogos como primeiro volante. Ao lado de Canteros são os dois que mais acertaram passe nesse Campeonato Carioca. Jonas deve pegar a posição do Márcio Araújo em breve.

Novamente assumindo o caráter festivo do jogo de ontem, mas foi até interessante ver Alecsandro e Eduardo da Silva juntos com Gabriel e Marcelo abertos e estes abastecendo aqueles. Não foram poucas as vezes que o time chegou com perigo e os cruzamentos encontraram sempre gente na área.

As opções são várias. Mas começa do princípio de escalar apenas dois volantes. Não porque acho retranqueiro com três, mas sim porque o mais habilidoso precisa chutar mais e chegar na área como um atacante.

7 comentários:

Anônimo disse...

3 cabeças de área é limitar o time, como vimos nos 3 jogos. 1 vitória sem brilho e com gols acidentais, 1 empate sofrido e 1 derrota dominando a bola no primeiro tempo e sem saber o que fazer. Jonas a frente avançado??? Não vai dar certo porque fica claro que ele não sabe jogar de costas para o gol e o passe bom dele é mais atrás, avançando ele ou vai tentar e errar ou vai chutar de muito longe como já mostrou nos jogos. Se o volante é bom deve ser escalado na posição e temos excelentes volantes e que escalados na posição são dos melhores no país agora avançados deixam o time limitado e propenso a resultados ruins como tivemos nos últimos 3 dias.
Para o time coletivamente é melhor um meia ruim ou discreto ou irregular não importa a ocupação do espaço no meio já ajuda o time. Veja a diferença do jogo com o Nacional e do Botafogo, muito mais finalizações e chegadas perigosas. Impor compromisso tático aos jogadores sem bola é obrigação.
Podemos fazer melhor para o time que escalar 3 cabeças de área, temos elenco, 3 volantes e limitação desnecessária e perigosa, em 10 dias saímos de líderes do campeonato para 5° lugar. Vamos insistir no erro?????

Gustavo Neves disse...

Eu tenho notado que, todo jogo, o Flamengo tem levado ao menos um ataque no mano a mano por causa de um buraco no meio. Contra o Botafogo, o gol que levamos foi nesse buraco. Contra o Nacional, teve uns dois ou três lances assim que só não deu problema por que o time deles era péssimo.
Não sei se o fato de sermos muito fortes nas laterais acabou espalhando o time e dificultando as jogadas. O Luxa tem que ver isso ai.

André Amaral disse...

Anônimo, é evidente, não seria louco, que não quero o Jonas mais avançado.

Apenas disse que ele fez o que o Canteros não conseguiu fazer. Foi uma comparação. E ainda disse que o Canteros é mais habilidoso que o Jonas e o argentino precisa ser o ponto central de um esquema com três volantes para este dar certo.

André Amaral disse...

Excelente Gustavo. Não tá encaixando a defesa, não tá compacto.

O problema está no buraco atrás dos volantes. Os zagueiros precisam avançar mais para compactar. Bressan contra o Botafogo foi recuando; Onde estava o Cáceres?

Quando o Flamengo consegue marcar a saída de bola se dá bem. Agora quando o adversário escapa dessa primeira marcação, o time não marca legal.

Abs

Anônimo disse...

Eu prefiro que o Canteros seja o ponto central de um esquema com 2 volantes. hehehehehehehehehehe
Acho até que o Jonas pode entrar na vaga do Márcio Araújo. O Flamengo precisa de um meia a frente dos volantes junto com o Everton e o Paulinho ou Nixon ou Gabriel ou Eduardo da Silva ou Marcelo.
No gol do Botafogo o que desarticulou foi o time lá trás tomando sufoco e o zagueiro do botafogo que arrancou lá de trás passou a bola e continuou e levou a marcação e abriu o buraco que Thomas teve espaço para chutar. Gol típico de um time que está jogando na defesa com volantes de mais, perde a segunda bola e um jogador vindo de trás desequilibra a marcação.

André Amaral disse...

Obrigado anônimo, ótimos comentários.

André Amaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.