quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Uma vergonha: STJD da Liga Nacional de Basquete pune o Flamengo com a perda de pontos

O STJD da Liga Nacional de Basquete puniu absurdamente o Flamengo com a perda de pontos pela não realização da partida contra o Pinheiros no Tijuca Tênis Clube por falta de laudos no dia 25 de novembro.

Pela segunda vez na história do NBB um clube é punido com a perda de pontos. O Minas, na terceira edição, foi punido com a perda de pontos por ter escalado um jogador irregular. Portanto, o Flamengo é o primeiro a sofrer punição por essas circunstâncias.

Essa é a cidade olímpica, que não tem um ginásio para se realizar esporte de alto nível. O Maracanãzinho está todo despedaçado e na Arena da Barra os custos são altos. (No último jogo contra o Bauru, por exemplo, o ar condicionado não foi ligado para não encarecer os custos)

Mesmo o Flamengo tendo em mãos o dinheiro para construir sua arena de basquete via iniciativa privada, não consegue a liberação das licenças para começar sua obra.

É uma vergonha. Mais decepcionante ainda é a Liga Nacional de Basquete ter oferecido a denúncia. Por que não agendar outro jogo? Com os custos sendo pagos pelo Flamengo da partida adiada e da remarcada? Por que desequilibrar na canetada o mais parelho campeonato brasileiro dos últimos tempos?

É um crime tirar os pontos do Flamengo. Um dos fundadores e um dos que mais investem no basquete brasileiro. E a Liga não ficou do lado do clube.

A sequência hegemônica de títulos deve estar incomodando demais a turma paulista que comanda a LNB.

O clube reagiu, confira a nota:


O Clube de Regatas do Flamengo recebeu com indignação o resultado do julgamento no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Liga Nacional de Basquete sobre a não realização do jogo entre Flamengo e Pinheiros, no dia 25/11/2014, pelo NBB7, no Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro, por conta de uma ordem judicial que interditava o ginásio. 
Classificamos a punição de R$ 5 mil e a perda de pontos da partida como desproporcional ao fato ocorrido. O Clube de Regatas do Flamengo considera que empenhou todos os esforços para a realização da partida. Mas, infelizmente, o Rio de Janeiro não possui alternativas viáveis do ponto de visto financeiro para a realização de partidas de alto nível de vôlei e basquete. 
Esta carência de espaços adequados afeta outros clubes do esporte olímpico nacional, como o multicampeão brasileiro feminino de vôlei, Unilever, que se viu afetado pela mesma situação e na mesma época. 
De imediato, o Clube de Regatas do Flamengo irá tomar as seguintes providências: 
1 – Oficiar a Liga Nacional de Basquete que, em nome da transparência e equidade da competição, que torne público os laudos de vistoria (Corpo de Bombeiros, CREA, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros) de todos os ginásios que sediam as partidas do NBB. 
2 – Oficiar a Liga Nacional de Basquete, que denunciou o Clube de Regatas do Flamengo na questão citada, sobre a razão da não adoção do mesmo procedimento em outros casos em que partidas não puderam ser realizadas. 
3 – Interpor, no prazo legal, recurso da decisão ao Pleno do STJD do Basquete, pedindo novo julgamento e revisão da pena. 
4 – Alertar novamente as autoridades do Estado e da Cidade do Rio de Janeiro sobre a inexistência de praças esportivas em condições de tamanho e/ou viabilidade financeira para a realização de jogos de basquete e vôlei dos nossos maiores representantes, faltando apenas um ano e meio para os Jogos Olímpicos. Além disso, realizar novo apelo a essas mesmas autoridades para que ajudem de forma efetiva na morosa aprovação burocrática das licenças para a construção do Ginásio do Flamengo, empreendimento que será viabilizado integralmente com recursos privados. O fato de não termos um ginásio com capacidade mínima de público exigida pela Liga Nacional de Basquete tem causado prejuízo enorme à nossa instituição. 
A Liga Nacional de Basquete tem exercido papel fundamental na recuperação do prestígio da modalidade do nosso país. O acordo histórico com a NBA é mais passo em direção a este objetivo. O Flamengo tem contribuído com esse processo, realizando um trabalho muito sério há muitos anos no basquete, detendo atualmente os títulos de Decacampeão Estadual, Bicampeão da NBB, Campeão da Liga das América, Campeão Intercontinental, além de termos sido a primeira equipe da América Latina convidada para participar da pré-temporada da NBA. Tudo isso, com enorme sacrifício e competência, sempre dentro da quadra. Infelizmente, parece que essa contribuição relevante ao basquete e ao esporte brasileiro não foi suficiente para que a instituição fosse respeitada nesse episódio. 
Saudações rubro-negras,
Alexandre Póvoa
Vice-Presidente de Esportes Olímpicos

4 comentários:

Anônimo disse...

Estão a todo custo querendo interromper a hegemonia do Flamengo no basquete brasileiro, sem falar que os atuais governantes no RJ não tem interesse nenhum que o Flamengo tenha seu próprio estádio ou arena, visto que preferem continuar mamando as custas do rubro-negro, ou alguém dúvida que muitos levam o "seu" pelo clube ter que jogar no Maracanã, Maracanãzinho e Arena da Barra.

SRN,
Ferdinand Junior

Anônimo disse...

é uma palhaçada esse pessoal não consegue tirar a hegemonia do flamengo em quadra, tão tentado dar um jeito de tirar fora dela. Quem é o time que mais investiu esse ano que no ano passado falou que ia montar um time para derrotar o flamengo eles montaram e agora começou acontecer essas coisas fora de quadra é meio estranho

João Duarte disse...

Posso estar falando besteira, mas achei justa a punição.

Concordo que é bizarro a cidade olímpica estar nessa situação e que a culpa não é do clube.

Por outro lado, ele era o responsável pela partida e portanto, como previsto na regra, deve ser punido pela não disputa da mesma.

Acho que a lei deve ser aplicada independentemente de tudo que o clube já fez e vem fazendo pelo esporte. E vamos combinar que não é uma punição que "acabe" com o Flamengo não é?

A unica coisa que espero, é que a jurisprudência seja mantida em outros casos.

Alias, tem outra coisa que espero. Que a arena do Fla seja aprovada sem a necessidade das politicagens estranhas que tem marcado as atuais gestoes estaduais e municipais (federal é muito pior, mas isso é outra historia).

Sancho Pança disse...

Concordo com João Duarte. Não considero a punição em si injusta.
Porém, endosso a nota emitida pelo Flamengo no que concerne à verificação de TODOS os ginásios que sediam partidas no NBB quanto aos laudos de vistoria. E consequentemente, punir eventuais irregularidades com o mesmo rigor utilizado com o Flamengo.
Aliás tem alguns ginásios que sediam jogos no NBB que são tão precários quanto o do Tijuca...
SRN