terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Argentinos brilham e comandam o Flamengo na Liga das Américas. Olivinha, agora titular, volta a sua melhor fase


Os argentinos brilharam nesta primeira fase da Liga das Américas de Basquete.

Herrmann terminou os três jogos sendo o principal cestinha do Flamengo na competição e o terceiro no ranking geral com média de 21 pontos. Pelo NBB, sua média é atualmente de 13,3 pontos por partida.

Sem Marquinhos, o argentino fez bem a função de ala. E teve que ficar mais tempo em quadra. Se pelo NBB joga em média 25 minutos, na Liga das Américas atuou 33 minutos por partida. Teve um aproveitamento de 60% na linha de três, acertou todos os lances livres e pegou 6,7 rebotes.



Já Laprovittola renasceu nessa competição americana. Jogando essa temporada bem abaixo do que a torcida se acostumou, o argentino teve médias bem superiores às do NBB.

O armador terminou sendo o segundo principal cestinha do Flamengo com média de 18,3 pontos por partida. No NBB vinha com média de 9,6 pontos por jogo.

Nas assistências terminou a primeira fase da Liga das Américas com a incrível média de 10,3 por partida. O segundo colocado aparece com a metade. Pelo NBB tem uma média atual de 5,3 assistências por jogo.

Assim como seu companheiro Herrmann, teve 100% nas cobranças de lances livres e aproveitamento de 56,3% nas bolas de três pontos e ainda pegou 5,3 rebotes.

Suas últimas cinco partidas indicam um Laprovittola regular e decisivo:

- 14 pontos, 9 assistências e 6 rebotes contra o Paulistano;
- 17 pontos e 7 assistências contra a Liga Sorocabana;
- 25 pontos, 10 assistências e 7 rebotes contra o Malvin
- 18 pontos, 9 assistências e 5 rebotes contra o Leones
- 12 pontos e 12 assistências contra o Pioneros


Quem também se destacou foi o ala-pivô Olivinha, voltando a ser titular do Flamengo, mostrou que tem muito basquete pra jogar na Gávea.

Terminou com média de 17 pontos. Bem superior à média de 9,3 pontos por jogo no NBB. Esteve em quadra com 34 minutos pela Liga das Américas, distante dos 21 minutos do NBB, onde foi reserva do Herrmann na maioria das vezes.

Além da garra tradicional, Olivinha sempre foi um dos principais reboteiros do Brasil. Mas no NBB tinha uma média de apenas 4,8 por partida. Na Liga das Américas obteve média de 10,3.

O ala-pivô ainda terminou a primeira fase como o líder em bolas recuperadas com média de 2,7.

Restam ainda dois grupos a serem disputados.

4 comentários:

Anônimo disse...

Caro André,

Como você parece ter um bom trânsito com a diretoria do Flamengo, gostaria de perguntar se você tem alguma informação sobre as obras do Ninho do Urubu. Sabemos que ainda não há recursos para as obras do módulo da base. Mas e para o módulo dos profissionais? As obras estão em andamento? O Flamengo já tem os recursos necessários para a conclusão do módulo dos profissionais? Qual a previsão de conclusão dessas obras?

Obrigado e parabéns pelo blog.

Anderson Novais.

Barreto disse...

Anderson

Permita-me responder.

As obras estão em andamento e foram bem aceleradas em janeiro devido à ausência do time profissional no local que estava em Atibaia.

André Amaral disse...

Anderson, boa tarde

Obrigado. Saiu novas e boas notícias hoje:

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/2015/01/obras-no-bloco-profissional-avancam-e-flamengo-volta-ao-ninho-do-urubu.html

Anônimo disse...

Obrigado André e Barreto! Ass. Anderson.