sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Copa do Brasil 2014 - Semifinal: Atlético Mineiro 4 x 1 Flamengo


Como estão os senhores?

Admiro que tem cabeça, estômago e coração forte pra escrever alguma linha logo depois de quarta-feira. O blog viveu oficialmente o luto...hehe

Estou a caminho do último sentimento, que começou com a raiva (Por que Matheus?), decepção (Ah, aquela bola do Canteros!), tristeza (Acabou o ano e o sonho do tetra) e aceitação (O Galo, mesmo afastando três jogadores, tem mais elenco, mereceu, paciência).

Quando Éverton fez 1 x 0, a primeira coisa que pensei foi: "não é possível que vai acontecer a mesma coisa, a história não vai se repetir, o raio não vai cair duas vezes no mesmo lugar, com Luxemburgo à frente não, ele pôde aprender com o Corinthians".

Pois é. Pensei que o Luxa velho de guerra, o Luxa xeque-mate, o Luxa que engolia o treinador adversário tivesse voltado. Porém, no jogo mais importante do ano, errou todas as substituições.

Jayme na final da Copa do Brasil terminou a partida com três zagueiros e três volantes, e ainda tirou o Carlos Eduardo para entrar o João Paulo na lateral. Mas deixou o veloz Paulinho. Já Luxemburgo nem fechou o time como deveria - Amaral e Samir, por exemplo, e tirou todas as oportunidades de contra-atacar.

Se Gabriel não tinha condições de fato deveria ter mantido pelo menos um entre o Éverton e o Nixon. Tirou os dois, perdeu a possibilidade de escapadas rápidas e ainda colocou os laterais do Galo todo no campo Rubro Negro para um festival, uma chuva, uma avalanche de cruzamentos.

Reparem que apesar de dezenas de cruzamentos não houve nenhum gol de cabeça, mas a grande área estava tão congestionada, o Atlético se sentia tão à vontade que atacava com oito e pegava todos os rebotes. Era impossível segurar.

Pra completar, um dos mais experientes, Eduardo da Silva, quis dar um toque de calcanhar. Errou e na sequência sofreu o segundo gol. Imperdoável!

Não sei os amigos, mas não vi nada depois dos 20 minutos do segundo tempo. No bar, assistindo com a turma do Rubro Negros da Ilha, fiquei numa rua transversal. Infelizmente só deu para ouvir o desespero da torcida, os dois gols e o sofrimento.

E, apesar de todo domínio mineiro na segunda etapa, Canteros teve a chance de calar o Mineirão. Chutou alto e em cima do Victor. Cáceres também teve sua chance. Outra vez o goleiro salvou. Isso tudo em minutos. Não precisava ficar todo recuado, não é?

A ficha aos poucos vai caindo. Ainda vamos chegar à fase da aceitação.

3 comentários:

Anônimo disse...

to tentando entender que passou na cabeça do Luxemburgo na hora que ele tirou o Everton, pra colocar essa bosta desse Matheus só ta no flamengo porque e filho do Bebeto.E depois colocar o Luiz Antonio não joga não marca é foda.E pior colocar esse caneludo desse Elton que merda

Anônimo disse...

REALMENTE O PROFEXÔ ERROU, A PROPOSTA DE JOGO ERA TODA DO FLAMENGO! CONTRA ATAQUE ERA NOSSO! TIRAR OS VELOZES DO TIME E RECUAR, SÓ CHAMOU O ATLÉTICO PARA O JOGO. NÃO SEI O QUE ESSE LUIZ ANTONIO TEM, POIS ELE É MUITO FRACO E AINDA ESTÁ NO FLAMENGO!!!!, NÃO CULPO O MATHEUS, MAS INFELIZMENTE ELE NÃO TEM A CARA DO FLAMENGO, PODE SER BOM JOGADOR, MAS NÃO TEM CONDIÇÃO DE SER JOGADOR DO FLAMENGO.PODERIA SEGURAR O JOGO OU FAZER O GOL E SER IDOLATRADO, MAS ESSE NÃO É O CASO. BOTAR O POSTE DO ELTON.... NÃO SEI QUE TÁTICA O LUXA QUIS INVENTAR. GOSTO DO TRABALHO DO LUXA, MAS NESSA A CONTA VAI PARE ELE, SE PERDEU POR COMPLETO. NÃO VAMOS TIRAR O MERITO DOS CARAS, POIS CORRERAM MUITO E MERECERAM O RESULTADO COM A COLABORAÇÃO DO PROFEXÔ. ENFIM, QUINTA - FEIRA FOI F..., MAS SERVIU PARA CONFIRMARMOS QUE TEMOS UM ELENCO FRACO E SEM OPÇÕES! SAUDAÇÕES RUBRO NEGRAS. PARABÉNS PELO BLOG, ACOMPANHO TODOS OS DIAS! ABRAÇOS

ismael amorim goulart disse...

Com a postura do time, nenhuma escalação ou substituição teria sucesso. Não adiantava, os caras queriam treinar ataque contra defesa, só que, durante 96 minutos e valendo a vaga pra final, cota milionária da TV, uma renda de nove milhões, muitos mais sócios torcedores e vaga na Liberta.
Já imaginaram esse time na Libertadores, Flamengo e Boca, lá na La Bombonera era capaz dos 11 jogadores não saírem da pequena área.
Foi a pior partida do Flamengo desde aquela goleada para a Universidade do Chile em 2011 pela Sul Americana (5x0 no Engenhão). Quem era o técnico?
Tão falando que o ano acabou pro Flamengo, conversa, ainda temos que torcer para não escalarem nenhum jogador suspenso pelo STJD. Esse ano não tem mais a Luzinha salvadora.