domingo, 28 de setembro de 2014

Mundial de Basquete: MENGÃO É CAMPEÃO MUNDIAL


O sonho virou realidade e o Flamengo conquistou o Campeonato Mundial de Basquete ao derrotar o Maccabi Tel Aviv por 90 x 77.

É o maior título da história do basquete Rubro Negro.

Vem aí a quarta carta "O Basquete do Flamengo agradece" de Alexandre Póvoa e toda diretoria.

A sequência é impressionante: bicampeão brasileiro, campeão da Liga das Américas e agora o Mundial. E esse ano o clube vai conquistar o décimo título carioca seguido, igualando o feito do Kanela e Algodão.

Comparando com o orçamento, a equipe israelense tem uma receita de R$ 48 milhões contra R$ 12 milhões do Flamengo. É um feito gigante e marcante.

Laprovittola e Meyinsse que estiveram apagados no primeiro jogo, desta vez foram os responsáveis diretos pela vitória. O argentino foi o cestinha com 24 pontos e 6 assistências e o pivô americano anotou 22 pontos e pegou 6 rebotes.

Benite foi decisivo para anular o americano Pargo que só faltava fazer chover no terceiro quarto. E foi do Benite a jogada decisiva, que abateu moralmente o adversário: naquela linda roubada de bola do Pargo, que culminou com a cesta mais a falta. O placar apontava: 68 x 63 e foi para 71 x 63.

E Neto foi perfeito colocando Marcelinho apenas 17 minutos em quadra.


O JOGO

O começo foi nervoso. O Maccabi abriu 7 x 0, forçando Neto a pedir tempo. Na volta Marquinhos matou duas bolas de três seguidas e o Flamengo conseguiu uma corrida de 11 x 0 com excelente atuação de Meyinsse no garrafão.

Laprovittola deu show, marcando 10 pontos no quarto e Herrmann com uma bola de três colocou o Flamengo na frente com 27 x 25.

No segundo quarto a partida seguia equilibrada. Lá e cá as equipes pontuavam. Mas faltava ele, o capitão Marcelinho, que matou sua primeira e única bola de três nos dois jogos da final. Antes já havia marcado sua primeira cesta e depois jogou bem coletivamente para o Flamengo colocar no placar: 39 x 32.

O Flamengo sobrava em quadra. Sem loucura de tiros de três pontos, foram apenas 6/12 no primeiro tempo inteiro, mas trabalhando a bola, buscando a melhor jogada e defendendo demais, fechou em 46 x 36 o primeiro tempo.

Na volta do terceiro quarto Jeremy Pargo apareceu e matou inacreditáveis quatro bolas de três. A sorte que no ataque tinha um monstro chamado Meyinsse, para manter o time à frente do placar. A defesa Rubro Negro não funcionou e a diferença baixou para apenas três pontos: 64 x 61.

O quarto final foi especial. Caracter perdeu a primeira bola. Neto imediatamente voltou com a dupla Meyinsse e Laprovittola. E com Benite colocado e anulando Pargo, o Flamengo abriu 11 pontos de frente com ótima atuação também de Herrmann.

Ninguém mais tirava a vantagem aberta pelo Rubro negro. O sonho virou realidade, o Flamengo conquistou seu maior título da história nesse histórico 28 de setembro de 2014.

6 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, André! Não só pelo aniversário, mas também pelo excelente blog, que fala sobre tudo e não somente ao futebol. Sempre que posso dou uma acompanhada aqui.
Hoje o mengão foi mengão! Ansioso pela quarta carta.
srn
orlani junior

Antônio Neto disse...

Me junto ao amigo Orlani Junior, o trabalho realizado pelo André aqui no site é genial, sempre atualizando os rubro-negros sobre os esportes olímpicos. Parabéns pelo blog e que continue o bom trabalho.

E Parabéns também a todos os rubro-negros pelo título de hoje. Eu que sempre acompanhei o basquete to feliz demais em ver o quão alto chegamos.SRN

Cadu Rollo disse...

Histórico! Incrível! Sensacional! Espetacular! E mais 450 adjetivos para falar sobre hoje...

Campeão Mundial!!!

André Amaral disse...

Valeu amigos. SRN!!!

Barreto disse...

Jerome e Nico fizeram o pick'n'roll perfeito. Esta jogada com um pivot ágil igual ao jerome não tem cincão que resista. O mundial na espanha já tinha mostrado que isto é muito relativo. Será que há ainda alguém que trocaria o Jerome pelo Caio Torres?

Ruy Moura disse...

Barreto. Estamos felizes pela conquista do Mundial Interclubes. Jerome é muito bom jogador, como também era o Caio Torres, MVP da final do NBB5. Caberiam os dois em nosso time, pois tem estilos diferentes. Quanto ao Marcelinho, não podemos nos esquecer que a história deste título mundial começou com ele em 2007. Era a estrela e o diferencial de um elenco montado com os remanescentes Fred, Maicon e Coloneze e com os contratados Hélio e Wagner (vindos do Uberlândia); Duda e Alírio (campeões pelo Brasília); Fernando Mineiro (vindo de Franca) e o cubano Amiel. Obrigado, Marcelinho, pela trajetória vitoriosa destes anos.