sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Copa do Brasil 2014 - Oitavas de final: Coritiba 3 x 0 Flamengo

Ainda sem entender porque um time que vive sua melhor fase no Brasileirão, encorpado e ganhando quatro partidas seguidas abriu mão da Copa do Brasil logo nas oitavas de final e contra o lanterna do Brasileirão. E podendo enfrentar na próxima fase enfrentar o América-RN.

Isso faltando mais de um turno e o time a cinco pontos da zona do rebaixamento. Os tempos de lanterna devem ter traumatizados o Flamengo.

Nas oitavas contra o Cruzeiro no ano passado o Rubro Negro estava com três pontos a menos do que tem hoje. E tinha uma sequência duríssima.

É um pensamento medíocre. O time é reconhecidamente limitado, precisa sempre jogar com os brios e resolvem dispensar a chance do único título do ano. Como se uma eliminação precoce fosse garantir o time na primeira divisão.

Ignoraram o bom ambiente que as fases decisivas poderiam trazer, a torcida presente, uma boa renda, o aumento do número de sócios e o tetracampeonato da Copa do Brasil, oras.

Agora o Flamengo parte para uma maratona de três semanas seguidas com jogos quarta e domingo. Adiantou alguma coisa jogar do jeito que jogou? Resolveu todos os problemas do Flamengo não seguir jogando com o mesmo espírito que "saiu da confusão" do Brasileirão?

A única meta do Luxemburgo e não rebaixar o Flamengo e começar o ano que vem como treinador da Gávea, como se tivesse cumprido uma dura tarefa, como se oito partidas de um mata-mata não tivessem a cara de um Rubro Negro aguerrido como vinha sendo. Em 2011 o mesmo treinador ignorou a Sul-Americana e levou uma surra do Universidad do Chile em pleno Engenhão. Agora repete o mesmo erro.

E ainda perdeu seu atacante mais eficiente para domingo.

3 comentários:

ismael amorim goulart disse...

Em 2011 o Luxemburgo deu prioridade ao brasileiro em que o Flamengo estava bem e não deu muita importância para a Copa Sul-americana. Resultado: 0 x 5 para LAU do Chile em pleno Engenhão. Agora ele resolveu repetir a doze e tomou de três do Curitiba. É a segunda competição do ano que o Flamengo cai na primeira fase dele. O elenco é bem ruinzinho e ainda deixa a competição em segundo plano. Prejuízo financeiro. Cadê o Antônio?

Marcelo disse...

Perfeita análise, André. Não deu pra entender.

Anônimo disse...

Mais uma vez fica comprovado como os treinadores tem influência direta no rendimento das equipes. Escalações boas permitem ao time bons rendimentos, escalações equivocadas produzem resultados terríveis como o de quarta. Parecia os times do Ney Franco.