terça-feira, 12 de agosto de 2014

Alexandre Póvoa comenta sobre o basquete, projetos incentivados, Anjo da Guarda, Comitê Olímpico Americano e Arena McFla

O vice-presidente de esportes olímpicos Alexandre Póvoa volta ao blog com análises e novidades sobre o basquete, a estrutura da Gávea e os demais esportes olímpicos.

Confira:


- Walter Herrmann fechado. Augusto Lima tem alguma chance? Como você planeja a temporada? Tereremos uma contratação pontual para o Mundial e NBA?

A contratação do Herrmann foi a mais difícil de todas, desde que a gente assumiu em 2013. Ele sempre foi a nossa primeira opção. Na primeira sondagem, o empresário e o atleta nem quiseram escutar. Chegamos a observar alternativas, mas nunca fomos adiante de forma concreta. Insistimos, conversamos diretamente com o atleta (acho que foi fundamental para dar confiança a ambos os lados). Ele tinha propostas de clubes argentinos e sondagens para voltar para a Europa. Acho que ajudou muito o fato do Nicolas e do Gonzalo Garcia terem dado boas referências do clube, além do calendário muito bom que temos e o prestígio que o Flamengo vem construindo no basquete. Estamos felizes porque, além de ser um jogador de altíssimo nível (campeão olímpico, NBA e Liga Espanhola, em todas as competições como destaque), pelas conversas que tivemos, trata-se de uma pessoa também de um patamar intelectual e de formação alto, dentro e fora da quadra. Tem uma história de vida muito dura, o que deve ter contribuído nessa formação. Esse fato foi levado em conta, porque ele vai se juntar a grupo já formado e que tem essa característica. É importante não somente pela temporada inteira, mas sobretudo porque ele só terá 12 dias aproximadamente para treinar com o grupo antes do jogo com o Maccabi Tel Aviv. Quanto ao fato de ter 35 anos, o fato de ele ter sido MVP da Liga Argentina ano passado e convocado (para efetivamente jogar) o Mundial, faz com que essa preocupação fique diminuída.

Não gostamos de trazer um terceiro estrangeiro no começo da temporada, como política. Anos passado, chegamos a ser criticados por não ter renovado com o Kojo ou com o Zanotti. Achamos que jogador estrangeiro só deve vir em duas condições – para fazer diferença (contratações de começo de temporada) ou para suprir alguma lacuna no meio da temporada (seja técnica ou física). Como foi o caso do Washam na temporada passada, com a contusão do Benite. Temos somente “três tiros” para estrangeiros, fomos pacientes e acho que tomamos a decisão correta. Mas nesse ano, dado o calendário, tivemos que abrir essa exceção, o que é um risco, mesmo com um jogador de ótimo nível.

Quanto ao restante do elenco, acredito que montamos na temporada passada um equipe mais qualificada e equilibrada relativamente à temporada anterior. Mesmo tendo sido “campeão de tudo”, o que nos deixou muito felizes, acreditamos que o grupo não rendeu tudo que podia. Pelo nível dos jogadores, poderíamos ter ganho alguns jogos com mais facilidade. Isso não é crítica, até porque vários fatores contribuíram negativamente:  Marcelinho, 39 anos, voltando de uma contusão seríssima de 10 meses de parado; Marquinhos perdeu todo o segundo semestre por conta de uma complicação de uma cirurgia simples; a contusão feia do Benite; Nicolas e Jerome, apesar de serem jogadores de alto nível, não renderam tudo que podiam, porque é o primeiro ano de Brasil, a adaptação não é tão fácil. Tenho a convicção que o mesmo time vai crescer esse ano, ainda há potencial para chegarmos á nossa condição máxima.

Sempre digo que está ganhando, se mexe sim. Sempre para melhor. A chegada do Walter Herrmann qualifica demais o elenco. O Cristiano hoje é pivô 5 da Seleção Brasileira e vai ganhar mais espaço nesse ano. Gostaria de lembrar que rebote não se ganha somente com “pivozão”; se ganha com inteligência, não só dos pivôs, mas também dos alas que precisam fechar o pessoal que vem de fora. Isso precisa e deve ser treinado. O time vai jogar mais perto do seu potencial nesse ano, não tenho dúvidas.

Reconhecemos, porém, que talvez para os jogos com o Maccabi e da NBA, precisemos de um pouco mais de força e não está descartada uma contratação pontual de algum estrangeiro – um pivô 5. Que fique claro, porém, que essa seria mais uma exceção, porque estamos em um ano realmente “excepcional”. Não é mais política do Flamengo contratar jogadores que possam sair a qualquer momento para a NBA ou qualquer lugar. O Flamengo não é ponte, é final de estrada, Não pode ser meio, é sempre fim. Temos que nos dar ao respeito com todo o currículo que estamos acumulando no basquete. Nesse caso da contratação pontual, o atleta teria dia para chegar e dia para ir embora. Seria um contrato curto. E teria que ser um atleta para fazer a diferença nesses 5 jogos históricos do começo da temporada.

Queremos, sim, observar muito a LDB e começarmos a formar uma base forte. O Flamengo tem que voltar a formar jogador, como sempre fez na minha época. Ganhamos a LDB esse ano, fantástico, mas o nível foi muito baixo da competição. Quem sabe buscamos um bom pivô 5 nessa competição para o resto da temporada ? O José Neto, a partir desse ano, vai exercer um papel diferente, como se fosse um Head Coach de todo o basquete do clube. Vamos verticalizar tudo, do adulto até a escolinha – parte técnica, preparação física, médicos, fisioterapia.

Finalizando, nunca houve contato com Augusto Lima ou Fab Melo como vi sendo comentado em vários blogs. O nosso problema bom é que todo mundo quer jogar no Flamengo hoje e começam a aparecer as “cavadas”. São ótimos jogadores, mas não temos orçamento para tudo, escolhas precisam ser feitas. Gostaria de lembrar que a renovação dos jogadores que ganharam tudo na temporada passada também foi difícil. Os atletas e a comissão técnica se valorizaram e buscamos reconhecer dentro dos nossos limites.


- O Flamengo teve aprovado o projeto de R$ 8 milhões via ICMS para a próxima temporada do basquete? A previsão é "renovar" com a TIM?

Sim, no esporte olímpico, mata-se um elefante por dia. As pessoas não têm ideia das dificuldades. Talvez no interior de São Paulo, o dinheiro esteja sobrando (rs), aqui não. Hoje, temos a Lei de Incentivo (só foi publicada em DO na semana passada – vide em anexo - depois de uma longa tramitação, mas deu tudo certo), dois patrocínios, cotas da NBA e do Mundial, enfim, temos uma situação muito melhor do que prevalecia até dezembro de 2012 (quando o basquete era praticamente financiado pelo futebol e os salários estava atrasados por mais de 3 meses), mas não temos espaço para cometer loucuras. Não é segredo para ninguém que a situação financeira do Flamengo é muito difícil e nós não vamos abrir mão do nosso compromisso de ser um clube cidadão. O processo da renovação da TIM está bem mais adiantado relativamente à temporada passada. Esperamos não passar pela mesma situação do segundo semestre de 2013 mas, novamente, há um manada de elefantes a serem abatidos no horizonte.

DO_RJ: 07/08/2014


- Como está o andamento dos projetos enviados pelo Flamengo para participar do chamamento interno da Confederação Brasileira de Clubes para equipamentos? Há expectativa para o lançamento de novos editais?

Vocês devem saber que o Flamengo, hoje, apesar de estar com todas as certidões em dia, não pode receber um tostão de verbas incentivadas federais porque teve seu nome inscrito no CADIN do Banco Central. O motivo foi a multa, que caiu no nosso colo agora, de R$ 90 milhões pelo fato do clube não ter informado ao BC corretamente sobre milionárias transações de jogadores na década de 90. Pagamos o preço da irresponsabilidade e más gestões até hoje. Mas estamos otimistas que, ainda nessa semana, conseguiremos resolver a questão. O contato com o BC está adiantado.

Temos que estar com o nome fora do CADIN até o dia 22/08 para recebermos as verbas de equipamentos que pedimos para a Confederação Brasileira de Clubes (CBC), que está distribuindo os recursos da Lei Pelé. Depois de tanta luta e sacrifícios, não receber esses recursos seria uma frustração enorme. Mas, se conseguimos resolver o Cadin, estamos otimistas, dado nossas intensas batalhas e contatos com a CBC e Ministério dos Esportes (que está olhando SICONV + Lei Pelé como uma coisa só). Pedimos nessa primeira tranche cerca de R$ 7 milhões, entre piscina italiana Myrtha, flotilha de remo e diversos equipamentos para ginástica, judô e vôlei.

Pelo o que fomos informados, há expectativa de lançamento de novos editais assim que o resultado do atual (que deve ser publicado em 22 de agosto) sair. Há muito dinheiro na Caixa da CBC e o Flamengo não pode ficar fora desses recursos, vamos lutar por cada centavo.


- Qual o balanço que você faz do Projeto Anjo da Guarda? Existirá algum tipo de prestação de contas onde o dinheiro foi investido?

Quanto ao Anjo da Guarda, podemos olhar o resultado sob a ótica do copo “meio vazio” ou “meio cheio”. Em se tratando de Flamengo, em uma campanha onde o sujeito apenas tem o trabalho de transferir o seu IR a pagar da Receita Federal para o clube (ou seja, não há nenhum desembolso real envolvido), não dá para afirmar que R$ 1,2 milhões de captação tenha sido algo brilhante.  Levando em consideração que aproximadamente 15% (30 milhões) da população brasileira (200 milhões) declararam I.R. em 2014, teríamos, no caso do Flamengo, 6 milhões de pessoas que potencialmente poderiam contribuir (15% de 40 milhões). Quando apenas 822 rubro-negros se dispõem a fazer isso, por mais que a divulgação não atinja a todos, tem alguma coisa errada. O que chama mais atenção é que eu e o nosso grupo falamos com pelo menos 500 pessoas de altíssima renda, que se dizem “grandes rubro-negros”, e o nível de resposta efetiva de adesão ao Anjo da Guarda foi baixíssima, tal como ocorreu em quase toda a “classe política” rubro-negra.

Olhando a situação pelo copo “meio cheio”, cabe ressaltar que foi a maior captação pulverizada da história da Lei de Incentivo de I.R. no Brasil. Dentro de todos os riscos que assumimos, acho que a resposta foi interessante para um primeiro ano. Montamos um eficiente sistema de captação via Internet e, pelo o que eu saiba, ninguém teve problemas do tipo “malha fina” com o I.R., dado que a Receita às vezes pega aleatoriamente esses casos de doação. Ótimo, porque lá para Outubro vem aí o Anjo da Guarda II. O fundamental é que o programa, dando certo, cresça ano a ano. Que em 2014, ao invés de 800 contribuintes, consigamos 1.600. A meta realista seria dobrar a arrecadação para R$ 2,4 milhões. Tirando o basquete adulto, isso significaria quase 25% do nosso orçamento anual para custeio do esporte olímpico no Flamengo.

Dos 1,2 milhões captados, cerca de R$ 200 mil estão sendo usados no Projeto de Judô e Ginastica, em plena fase de execução.

- R$ 600 mil foram destinados ao Projeto de Esportes Coletivos, ainda em fase de captação (faltam R$ 500 mil de empresas para começarmos a executar)

- R$ 200 mil foram destinados aos projetos aquáticos (ainda faltam R$ 200 mil de empresas para começarmos a executar)

- R$ 200 mil foram destinados ao remo (ainda faltam R$ 800 mil de empresa, para começarmos a executar).

O remo, apesar de estar aparentemente mais longe, já tem uma empresa interessada em bancar. Estamos na expectativa do CADIN para irmos em frente.

É muito difícil conseguir apoio. Desde que assumimos, já visitamos/contactamos umas 200 empresas e só doze estão patrocinando o clube através de verba direta ou incentivada. Mas temos frentes abertas e tenho a expectativa no segundo semestre já estaremos anunciando a autossutentabilidade do esporte olímpico do C.R. Flamengo.


- Existe a possibilidade de o Flamengo voltar a ter uma equipe adulta de natação pro ano que vem somada aos ótimos atletas da categoria júnior? E o projeto referente ao parque aquático via ICMS? Alguma novidade?

Só vamos ter equipe quando tivermos condições de abriga-la (infraestrutura) e custeá-la (lei de incentivo). Tal qual foi com a ginástica artística. Estamos próximos a isso. No caso da piscina, temos bastante expectativa de conseguirmos a solução italiana Myrtha via Lei Pelé (que custa cerca de R$ 2 milhões). Aí precisaremos de algo em torno de mais R$ 2 milhões da lei de incentivo de ICMS para completarmos nosso sonho. Estamos abrindo frentes, estamos mais próximos.


- O Comitê Olímpico planeja construir uma Arena do judô? Quais outras obras estão em vista?

Estamos em negociação para a construção de uma academia para sócios e a arena de lutas de judô deve ficar no andar de cima, financiado com os recursos acordados com o Comitê Olímpico dos EUA. Caso essa definição da academia não ocorra, o espaço será feito em outro espaço da Gávea.

Aí sim, com equipamento novo e custeio através de lei de incentivo, vamos vislumbrar a volta de uma equipe adulta forte. Sonho todos os dias com a seguinte Gávea ao final de 2015:

- Campo de futebol totalmente reformado (já concluído com a parceria com a Holanda).

- Vestiários do Hélio Maurício e Togo Renan totalmente reformados (com recursos do Comitê Olímpico dos EUA, as reformas devem ficar prontas até outubro)

- Ginásio Cláudio Coutinho reformado – Com recursos próprios, estamos consertando o teto e preparando o ginásio para receber equipamentos de última geração (acordo operacional com o COB, devem chegar em novembro, quando pretendemos reinaugurar o ginásio em grande estilo, com toda a nossa equipe de volta).

- 2 Salas de musculação modernas, com equipamentos de última geração, somente para atletas olímpicos (já conseguimos recursos pela lei de incentivo de ICMS), uma para a Gávea e a outra para o Remo. Devemos ter ambas prontas até novembro também.

- Arena de judô – Até o final de 2015 é o prazo limite, com recursos do Comitê Olímpico dos EUA

- Reforma das quadras de tênis – Até o final de 2015 é o prazo limite, com os recursos do Comitê Olímpico dos EUA.

- Construções/equipamentos esportivas  que ainda estamos tentando viabilizar: Arena Mc Donalds, Flotilha nova (Lei Pelé), reforma da piscina (Lei Pelé + ICMS), material novo vôlei, futsal, basquete (Lei Pelé).

- Construções sociais que ainda estamos tentando viabilizar: Museu e Academia para sócios

Fora isso, há todo o Plano Diretor da Gávea já pronto e que será proposto no Conselho Deliberativo para aprovação. Recomendo que quem queira comprar um título de sócio do Flamengo, pode ser um bom momento.... (rs).


- E qual a situação da Arena McFla?

Tivemos uma ótima reunião com o Eduardo Paes na semana passada. Ele gostou do projeto, sobretudo por ser um equipamento importante para a cidade como legado das Olimpíadas de 2016 e para a beleza arquitetônica da Lagoa. Estamos esperançosos em conseguir as últimas licenças que estão faltando em breve. O patrocinador está 100% de pé e estamos aguardando a liberação integral da prefeitura para começar as obras. Ainda temos a esperança e o sonho de termos essa arena pronta até o final de 2015.

22 comentários:

Cadu Rollo disse...

Putz, excelente entrevista, de cima a baixo. Muito bom ver a competência e o pé no chão o tempo todo.

Difícil comentar alguma coisa pois são muuuuuuuuuitos assuntos, todos bem interessantes rsrs.

De qualquer forma, pros flamenguistas amantes de esportes olímpicos, muito bom ler uma entrevista dessas.

Abs,

Anônimo disse...

mais uma ótima entrevista do póvoa, fazendo milagre com nossos esportes olimpicos num país que da quase nenhuma importancia pra eles

Bcb disse...

Entrevista sensacional desse dirigente que faz um trabalho fantástico no Flamengo.
Muito trabalho, pouco papo, como deve ser.
Parabéns, menino Ninho, pela entrevista rs.

André Amaral disse...

Valeu Cadu, valeu amigo bcb, o mérito é todo do Póvoa, com ele não tem entrevista sem conteúdo...haha

ismael amorim goulart disse...

Não dá pé comparar o basquete com o futebol em qualquer que seja o enfoque. No basquete o Flamengo contrata o atleta diretamente com critério técnico, a comissão técnica avalia a necessidade e a contratação é realizada, caso do Herrmann. Tem a grana e ela não está bloqueada.
No caso do futebol, desde que essa diretoria assumiu, as contratações tem enfoques não só técnicos, mas muito no aspecto da facilitação empresarial da transação. Não quero dizer que alguém da diretoria esteja levando vantagem. Fica claro que, como não tem verba, fica dependente da condição dos direitos do atleta e interesses de empresários para conseguir contratar. E é aí que essa diretoria vem se perdendo. O clube não consegue combinar bem o custo benefício, principalmente o benefício técnico, contrata-se o jogador mais pela possibilidade da contratação do que pela necessidade técnica. Sei que quem não tem dinheiro não tem muito outra opção, mas é aí que o bom dirigente tem que fazer a diferença.
Quem disse que o Flamengo precisava do Elano ou do André Santos? Eles vieram mais porque estavam disponíveis no Grêmio do que qualquer outra coisa. Foi assim com CE10 também. Dá sempre a impressão que contratam dez pra ver se um dá certo. No ano passado teve aqueles 5 do interior paulista que vieram e só o Paulinho deu mais ou menos certo. Essa diretoria já dispensou praticamente metade dos jogadores que ela mesma contratou.
É nítido que a turma do Eduardo Bandeira de Mello e Cia vêm tendo mais sucesso que as gestões anteriores, principalmente na área financeira, captam mais recursos e negociam algumas dívidas importantes, não é à toa, conseguiram as negativas.
Antes o Flamengo não tinha cinco patrocinadores de primeira (as vezes não tinha nenhum), não tinha o programa do sócio torcedor e o basquete vivia do futebol.
No entanto, o grande fardo dessa diretoria é dentro das quatro linhas gramadas, que gasta mais de R$ 9,000,000 mês (isso pelo menos é o que a imprensa informa) e o time é 19º.
Lembro-me bem que no meio desse ano o Pelaipe ou quem quer que seja queria contratar dois jogadores dispensados pelo Galo. Para quê? O que eles iriam fazer que os que já estão lá não fazem? Aí alguém vetou, acho que o Ximenes. Não deram por satisfeitos e contrataram o Arthur e o Sérgio Araújo, dispensado do Palmeiras, pra que? Talvez pra fazer o gol impedido!
Desses atletas todos, os únicos que deram certo foram o Elias, o Wallace, e o Paulinho. O Everton e o Mugni tem potencial, o resto não dá para as pretensões do Flamengo, talvez dê para as dos empresários e clubes pequenos os colocaram lá.
Tentei sem sucesso comprar uma camisa oficial do Basquete do Mengão, mas não tem pra vender, pelo menos não encontrei. Aqui em Bauru-SP., o time vende as camisas até nos jogos, tem uma loja quase dentro do ginásio e custa R$ 89,90. O torcedor do Flamengo do Basquete é obrigado a torcer com as camisas do futebol. Poderiam também produzir um home vídeo sobre a temporada 2013/2014 do basquete do Flamengo, aí vendê-lo online, nos jogos e distribuir pros sócios e sócios torcedores.
Sobre ser sócio torcedor do Flamengo pra quem vive fora do Rio é complicado, principalmente quando eu penso em dar meu dinheirinho pra esse pessoal contratar o CE10, Elano, André Santos, Sérgio Araújo... Mas quem sabe um dia... Torço e aguardo para que eles sejam tão competentes e tenham o mesmo sucesso no futebol como estão tendo na gestão financeira e do basquete.
Parabéns pro pessoal do blog pela entrevista.

Marcelo disse...

Excelente entrevista!
Que todos os projetos mencionados sejam efetivamente realizados! Será maravilhoso para o clube.
Parabéns ao Póvoa e a todos os envolvidos no esporte olímpico do Mengão.

Anônimo disse...

ISmael, acho que temos que pesar algumas coisas, André Santos ano passado foi importante e teve boas atuações principalmente jogando na meia, este ano ele foi mal e deveria ter saído do time antes ou deslocado para meia que foi uma dificuldade do Flamengo no primeiro semestre, mas esse é um problema dos treinadores.
Dizer que o Paulinho deu mais ou menos certo??? Ele deu certo. A CE10 queriam um futebol de craque e ele apresentou um futebol de retenção e toque de bola bem diferente das expectativas, mas ajudou no ano passado. O dinheiro é curto e as vezes apostas são necessárias ou então é fazer mais dívidas e ficar no círculo vicioso dos últimos anos, olhe só a situação do Botafogo, poderia ser a do Flamengo.
O problema do time do Flamengo são os treinadores, fracos e imcompetentes no seu trabalho. Na verdade após a saída da libertadores o time se enveredou por utilizar esquemas e jogadores que apresentavam mal desepenho, isso não é culpa da diretoria e culpa dos treinadores, Jayme escalando 3 volantes de deixando o Mugni no banco. Ney Franco inventando um monte de coisa só para manter no time titular André Santos e Elano jogando mal. O Mugni único jogador do time com caracteristica de armação só agora tem uma sequência e foi mal utilizado pelo Jayme. O Jayme fez um monte de bobagem, não poupou o time quando deveria para libertadores colocou o Erazo(Zagueiro de copa do mundo) no fogareu, isso é culpa da diretoria???? A falha da diretoria foi não seguir os técnicos de perto tentando direcionar de alguma forma o trabalho, talvez a diretoria poderia ter estourado o orçado e trazido o Elias a situação do time estaria melhor, mas e a situação do clube. A diretoria fica sempre enfrantando escolhas dificies.
Veja agora com o time mal, começam a dar pitaco um monte de ex-presidentes que fizeram um monte bobagens, um deles acha legal pagar 1 milhão para o Robinho, correr atrás de Diego Souza que não joga a meses e está fora do peso e enconstado, correr atrás de Julio Cesar que não abre mão do seu salário europeu, a oposição fica fazendo a política de terra arrasada no clube.
É nessa hora que temos que analisar e dar força para a diretoria que vem trabalhando no clube e conseguiu já mais títulos que Patrícia Amorim.

ismael amorim goulart disse...

Não defendi gestões passadas, minha nossa, era só o que faltava.
O problema é o técnico? Tá bom mas é você que está falando.
O Paulinho deu certo? Quantos gols ele fez esse ano? Quando eu disse mais ou menos fui generoso.
Que título essa diretoria ganhou?
Analisando em relação aos títulos mais graúdos, aquele que dão pra realmente avaliar o nível do time, não dá pra acreditar o retrospecto do Flamengo, deste 92 o clube mais popular do Brasil, que tem quase a metade da torcida do segundo estado mais rico ganhou 1 brasileiro, eliminado em cinco libertadores na primeira fase, quantas retas finais de brasileiros o Flamengo luta pra não cair, já é tradição flamenguista de fim de ano. Aí não tem quadro de sócio torcedor que aguente.
Esse diretoria já contratou mais de trinta jogadores e já dispensou a metade. Se eram bons, por que dispensou?
O duro é que o ônus nunca é deles, é o Flamengo quem vai dar R$ 4,000,000 pro Elano e André Santos, de verba rescisória, deveria ser o tal do Wallim, Bap ou Pelaipe eu sei que eles tem muita grana.
Nos esportes olímpicos a mentalidade é melhor, contudo, ainda sem muitas realizações. O ginásio do "Big Mac" só acredito vendo, que nem o Silvio Santos. Já faz três anos que o pessoal vem falando isso. O histórico de realizações patrimoniais e estruturais do Flamengo é terrível, não tem estádio, não terminou nem a primeira etapa do CT e aquele shopping na Gávea, projeto dos anos 90, o Flamengo pegou uma grana do consórcio que ira construir o 'pojeto" que nem fala o Luxa, pegou a grana e comprou o Edmundo, depois quando o jogador fracassou e foi vendido o Flamengo ao invés de pagar o consórcio ele gastou o dinheiro com outra coisa. Bem, isso hoje é objeto de umas das maiores condenações judiciais que o clube tem, de R$ 75,000,000.
Vocês vão atrás desse pessoal, sabem aonde vai dar - ano que vem vão ver o clube jogar as terças e sextas. E esse história que seria bom o clube cair é a coisa mais idiota de todas, todos os contratos de TV e patrocínio cairiam pela metade. Isso poderia ter consequências perpétuas como por exemplo a perda da hegemonia de torcida.
O Flamengo precisa de jogador bom, que supra nossas deficiências técnicas, não precisa mais de técnico nem muito menos de empresários oferecendo jogador.
Perdão pro pessoal do blog ter feito este comentário dentro de uma matéria postada sobre esportes olímpicos, mas eu comecei a escrever e não parei, igual agora.

Anônimo disse...

Vamos ver um exemplo, o Fluminense não chegou a final do estadual, mudou o técnico, contratou um dos mais promissores e o mesmo time ficou na frente no Brasileiro, apenas mudanças no time.
Mesmo já agora nos estamos vendo que o Flamengo conseguiu duas vitórias, vindo com o Ney Franco de nenhuma vitoria em 7 jogos.
A dispensa de jogadores ocorre exatamente porque pela falta de recursos é necessário fazer apostas e ver o que acontece.
O fato é que o socio torcedor tem que ter tolerância, não é hora de abandonar o barco agora que o clube está precisando.
Com um trabalho técnico razoável, o time não cai, porque vários clubes esetão com times piores e elencos piores que o nosso.
Parece que a diretoria não trouxe ninguém. Canteros é jogador de nível seleção(Argentina), Eduardo da Silva jogou a copa do mundo e jogou no Arsenal, em suma dois jogadores de bom nível para o ataque e para o meio campo do Flamengo, é hora de todo mundo torcer e continuar ajudando, pois o clube poderá se fortalecer mais em breve com o fim de algumas dívidas.
No basquete é mais fácil, pois não temos multas recisórias, contratos mais curtos. Além disso o nosso técnico mostrou no Flamengo capacidade e um trabalho que no futebol ninguém está fazendo. Por isso o Flamengo vem conseguindo bons resultados com mais facilidade e conseguindo viabilizar patrocínios.
A folha de futebol do Flamengo tem Romário, técnicos demitidos no passado entre outros engordando a folha, pessoal da imprensa poderia divulgar apenas a folha do Flamengo com os jogadores ativos iríamos ter uma boa diferença.

Anônimo disse...

Não acho o fim do mundo cair não, pelo menos se o clube ficando bem financeiramente já me alegraria demais. O que adianta ter carioquinha e dever deus é o mundo. O TORCEDOR tem que largar de ser fanático e ter consciência. Lá na Europa se cai e não é esse fim de mundo não.

ismael amorim goulart disse...

Beleza, quem aí está com o Antônio? Fãs do Carlos Eduardo.
Eu sempre imaginei que time grande não cai.

Anônimo disse...

Ismael, boa tarde!
Cara, vc vai me desculpar? Mas a quanto tempo o Flamengo não é time "Grande"? A diretoria está fazendo o papel dela, você na sua casa ou com a sua família gasta mais do que vc recebe? Você deixaria de comprar algo para a sua casa para apenas "ter o prazer de comer fora"?
A diretoria está certa, arruma a casa primeiro, acerta as dívidas, todos sabemos do potencial da marca Flamengo, do nome Flamengo, e da força da sua torcida, o basquete está onde está hoje porque tem pessoas sérias trabalhando com ele, e o futebol hoje está fazendo o mesmo, se acertando, as vezes é preciso dar alguns passos para trás para andarmos de novo para frente com a cabeça erguida.
Sou Flamengo, e não vou deixar de ser caso o time caia para a 2ª divisão. Como torcedor, tenho mais vergonha de ver ex presidentes dando entrevistas falando que fariam melhor (se o Flamengo hj está na situação por culpa deles) do que ter o meu time jogando de terça e sábado, mas honrando seus compromissos.
Precisamos parar de ser "coração fanático" e pensarmos com a razão.
Hoje tenho orgulho do time de Basquete do Flamengo, mas se olharmos para 7 anos atrás, nem time o Flamengo tinha direito, e os muitos dos que hoje conhecem de basquete, assistem e torcem, não tinham a mínima ideia que o Flamengo se quer tinha um time de basquete.
Projetos sérios e de médios e longos prazos, sempre dão os resultados esperados.
Do que adianta ter um time de estrelas (cansei de ver SeleFla), que não ganharam nada, e depois deixarem apenas dívidas.
Chega de sermos chacotas por não pagarmos as nossas contas, queremos time sim, queremos ser campeões, porém, antes, precisa colocar a casa em ordem.
Imagina o Flamengo com a sua dimensão sem dívidas e com patrocínios em dia, não vejo nenhum time que possa bate-los.
Hoje no basquete os jogadores se oferecem para vim para o Flamengo e o time se dá o luxo de não contrata-los (caso do Shammel).
No futebol, mesmo um jogador medíocre e sem expressão esnoba.
Bom se vcs acham isso bonito, que apoiem o modelo anterior de gestão.
Mas eu prefiro esse modelo sério e de comprometimento.
Homens de verdades honram o que cumprem e acordam.

DAVID disse...

O dia que alguém pegar uma empresa com 750 milhões em dividas, sem qualquer credibilidade, conhecida por ser mau pagador, cheia de vícios e pessoas que vivem desses vícios por décadas rodeando as decisões e resolver todos os problemas em 1 ano e meio aí eu volto aqui e comento. Sentado em casa na poltrona, lendo as noticias na internet ( a maioria mentirosas)e ligando a TV na hora do jogo aí realmente é muito fácil e confortável, Essa direção errou muito no futebol e reconhece internamente muitos desses erros mas o conceito que seguem é o que sigo pra minha vida.Apostas podem dar certo ou não mas compromisso tem que ser cumprido. Quando nossos bravos ex presidentes vão na imprensa dizer que a salvação é deixar de pagar as contas e falam isso na maior cara de pau eu entendo perfeitamente porque o Flamengo chegou nesse patamar.

Ruy disse...

Caros, acho que devíamos focar aqui na excepcional entrevista do Póvoa. Prova que o clube está realmente se reestruturando de dentro para fora. Agora, ao menos, há um horizonte a ser vislumbrado, trabalho sério e não aquelas megalomanias rubro-negras colocaram o Flamengo na situação caótica financeira de hoje. Quanto ao basquete, me chamou a atenção a afirmação dele de que não precisamos de um pivô 5 mais forte para a temporada inteira. Vamos ver, confesso que tenho receio que essa será uma fragilidade que possa a ser explorada pelos adversários. Mas temos que dar um voto de confiança, no basquete essa diretoria tem um enorme crédito. Abs

DAVID disse...

Tem toda razão Ruy. Confesso que temos um time mais forte que o do ano passado com Hermann e a volta do Benite mas tivemos problema com pivôs pesados como Paulão Prestes, Devon e Babby, vamos trocer.

Anônimo disse...

Ruy me desculpa mais tenho que comentar sobre a resposta do anonimo pro Ismael, parabens pro anonimo concordo com tudo e pro Davi tamben pelos comentario. Se tiver que cair pra continuar pagando as dividas que caia,vou continuar sendo flamengo do mesmo jeito.E pro parasitas os eis presidentes ja que voces são bonzinhos paque as dividas que voces deixaram bando de merda

ismael amorim goulart disse...

Começo a desconfiar que esse pessoal do blog está aí só pra defender a atual diretoria e parece que o pessoal também não sabe ler. Eu elogiei a atual diretoria sobre as questões financeiras, tá tudo aí acima nos postes anteriores, fui bem claro inclusive. Elogiei o trabalho do basquete. Não pedi pra contratar estrelas, reclamei para contratarem com mais critério técnico para que não tenham que dispensar mais de 15 jogares por ano e ainda endividando ainda mais o clube. Essa molecada dos anos 90 e 2000 tem muito pouca ambição em relação ao Flamengo, o cara fala em segunda divisão e acha isso normal. Contratem bons jogadores com mais critério técnico que o Flamengo não estará aonde está. Porque dinheiro estão gastando mesmo, pra valer.
Caso caia mesmo (tomara que não) o Eduardo Bandeira e Mello não se elegerá nem presidente do condomínio que ele mora. Olhando em retrospecto nas postagem que fiz anteriormente dá pra ver que ninguém criticou as diretorias anteriores mais que eu.
Tem uma postagem que digo que atual diretoria tem tido bastante sucesso nas questões financeiras principalmente se comparando com as gestões anteriores.
É sério que vocês acreditam que se o time cair o clube vai pagar as dívidas? Em que mais vocês acreditam? No Lula, na Dilma? No pagamento de dízimo para atingir o paraíso? Então tá tudo certo, o Flamengo paga um ano na série B mas em compensação paga as dívidas - R$ 760,000,000 - Ainda bem. Puxa que alívio!

Anônimo disse...

Acho segunda divisão normal sim.... Algum problema com isso? As coisas tem que ser organizadas. Prefiro ter o elenco ganhando em dia, do que ter um Messi da vida ganhando um milhão por mês (sem receber)!

Anônimo disse...

Sou flamenguista até na série De não estou preocupado com série não, minha preocupação é com o estado em que o flamengo se colocou financeiramente. Um clube como este era para ter avião, bus,ct,hotel,vinhos colônias de férias estão... Perderia o tempo em mencionar... Uma marca como essa está queimada e temos que correr para arrumar isso. Como vc vem me dizer para contratar com critérios querido Ismael, como vc vai adivinhar que Carlos Eduardo não irá render!? Entre outros....

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
ismael amorim goulart disse...

O Antônio depois do Carlos Eduardo qual o jogador que você mais gosta?
O Wellinton? Erazo?

Anônimo disse...

O Erazo fez uma boa copa do mundo, infelizmente foi queimado quando foi mal escalado no Fla x Flu, deveria ter feito uns 4 ou 5 jogos com clubes pequenos para se adaptar, a diretoria teve critério trouxe um jogador titular absoluto de uma seleção classificada para a copa, mas o que os técnicos fazem com os jogadores é outra coisa.
O Canteiros foi uma contratação com critério assim como o Eduardo da Silva.
Como eu falei no basquete e mais fácil contratos curtos, com orçamento é possível trabalhar bem o time, o Flamengo foi trabalhando devagar e construindo seu lugar no cenário continental. Hoje um jogador como Walter Herman vem jogar no Flamengo com referências do Laprovítola e Kamerichs. Acho que a próxima temporada será mais uma temporada de sucesso.