sexta-feira, 27 de junho de 2014

Agora está explícito: Ministério do Esporte cria Portaria para excluir os clubes dos convênios

Se antes a preferência da Secretaria de Alto Rendimento via Ministério do Esporte pelas Confederações era de caráter extraoficial, agora já ficou explícito, graças a Portaria assinada pelo Secretário Ricardo Leyser que excluiu inclusive os oito clubes anteriormente habilitados pelo Ministério para participar do convênio.

A Portaria nº. 003/2014 publicada na quarta-feira explica que os clubes já terão direito ao repasse da Lei Pelé para a Confederação Brasileira de Clubes, logo não poderão participar do convênio com a Secretaria de Alto Rendimento.

O edital da CBC já foi divulgado e fará a partilha de, em um primeiro momento, R$ 20 milhões para a compra de equipamentos. São R$ 120 milhões que estão parados na conta há três anos e que só agora serão repartidos contra os R$ 180 milhões disponibilizados pelo Ministério do Esporte.

Dispensa comentários sobre o rio de desperdício de dinheiro público com as velhas Confederações que recebem um trabalho pronto dos clubes, estes os verdadeiros formadores que abastecem as seleções. O caminho olímpico brasileiro ainda caminha por trilhas duvidosas:

Clubes excluídos e Confederação Brasileira de Hipismo recebendo R$ 15 milhões, Confederação Brasileira de Basquete para preparar a seleção masculina visando 2016 recebendo R$ 14 milhões e até a Confederação Brasileira de Desportos na Neve garantindo quase R$ 8 milhões para brincar de esporte olímpico. A relação está aqui.


**************


O Secretário Ricardo Leyser prometeu a este blog que as explicações da Comissão Técnica, que analisou os projetos de convênio com Secretária de Alto Rendimento, para a recusa dos projetos do Flamengo seriam dadas via nota oficial, o que não aconteceu até a presente data.


**************


Bruno Caboclo foi draftado na NBA pelo Toronto logo primeira rodada. Foi revelado pelo Grêmio Esportivo Barueri e lapidado pelo Pinheiros. Eis o papel fundamental dos clubes.

Mas claro, agora aparecem os oportunistas, os aproveitadores do sucesso alheio.

3 comentários:

João Duarte disse...

É difícil fazer trabalho sério no esporte brasileiro...

Luiz Filho disse...

É dificil fazer qualquer coisa séria no Brasil...
Vou zelar pela boa educação que o blog tem, e preza e não postar o que me vem a cabeça...

@eduardocbs disse...

da nojo