quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Libertadores 2014: Flamengo 3 x 1 Emelec


Pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores o Flamengo venceu bem o Emelec por 3 x 1.

Belíssima atuação de Éverton, finalmente fez sua verdadeira estreia. Sofreu a falta do gol do Elano, meteu uma bola na trave, teve o gol impedido pelo zagueiro, mas conseguiu marcar seu gol.

Excelente entrada do Gabriel no segundo tempo. Enlouqueceu a defesa equatoriana com ótimas arrancadas, costurando o adversário pela direita. Já merecia ser titular bem antes, depois de ontem então.

Veja o mapa do calor do Gabriel com a bola no pé, atuando em todo campo ofensivo, principalmente pela direita e ajudando ao Léo Moura na marcação.

Gabriel
Compare agora com o mapa limitado e tímido do Mugni com a bola.

Lucas Mugni
Jayme insistiu com Éverton, Mugni e Elano juntos. Não precisa de mais provas para concluir que o trio jogando junto é infrutífero. Mugni ainda não encontrou seu espaço. O erro tem sido pensar que o Elano pode fazer a mesma função do Luiz Antônio. Não tem a menor condição dele jogar aberto pela direita, ainda mais porque Léo Moura ontem praticamente não avançou. (Parece que sentiu no primeiro tempo e se preservou.) Elano pode ser bem aproveitado centralizado e tendo ao seu lado jogadores em velocidade para lançar.

O gol logo no começo não provocou bizarramente qualquer tentativa de pressão, de encurralar o adversário com a ajuda de sua torcida. Pelo contrário: o Flamengo recuou na esperança de jogar no contra-ataque, entretanto, quem seria o responsável? O Emelec marcou avançado, com uma linha de quatro fechou todas as saídas de bola Rubro Negra. É um time fraco, limitado, sem grandes talentos, porém típico de Libertadores.

Jayme mudando suas características, colocou o Gabriel logo no intervalo. E o Flamengo foi outro. Mais ousado e agressivo. O segundo gol saiu nos pés do Elano pela esquerda, que passou para André Santos que encontrou o Hernane com faro de artilheiro dentro da área.

Alecsandro também entrou e provou que pode sim jogar com o Hernane em campo. Veio buscar o jogo na defesa, fez ótimas jogadas, cavou três cartões amarelos e uma expulsão. É experiente demais para a Libertadores, virou uma boa opção vinda do banco.

E como não falar do Cáceres. São 16 desarmes em dois jogos da Libertadores, segunda melhor marca da competição. Ao contrário do jogo passado, quando se concentrou como primeiro volante, dessa vez ele varreu o meio de campo, fora a linda arrancada em velocidade para o terceiro gol do Éverton.

Cáceres
Isso tudo sem contar com o Paulinho que, se voltar a ser o jogador do ano passado, pode ser mais uma boa opção pro Jayme. Este aos poucos vai achando seu time. Sua entrevista coletiva é bem lúcida e realista, sem ficar em cima do muro.

Falta melhorar a saída de bola. Jayme utilizou o Alecsandro para fazer essa transição. Léo Moura, mais recuado, também ajudou, mas falta melhorar muito. Não dá pra ficar trançando bola na linha defensiva.

O caminho é esse, Flamengo!

3 comentários:

Ferdinand Baumstark disse...

Teremos que atuar com 2 volantes de contenção, Caceres e Amaral, a defesa está muito vulnerável... e o Jayme tem que orientar o Amaral a não subir ao ataque como ele estava fazendo, completaria o setor com Elano e Gabriel, tendo a opção de recuar o Everton no segundo tempo e entrar com o Paulinho no lugar do Elano, ou Alecsandro jogando no meio com Everton aberto para aproveitar sua velocidade.

Orlani Júnior disse...

A diretoria tinha de fazer igual se faz na Europa, deixar Jayme por uns bons anos, até uns 70anos de idade..

Anônimo disse...

Cárceres e Amaral jogaram contra o Vasco e o primeiro tempo a defesa estava muito vulnerável, Amaral estava nervoso e sentiu a pressão da expulsão no primeiro jogo da libertadores.
O melhor rendimento defensivo é com Cárceres e Muralha inclusive porque os dois podem se revesar em quem vai ser primeiro e segundo volante em função do adversário. Amaral bobeou e agora vai ter que esperar sua chance.
Cárceres mostra que é um bom volante e que ano passado as contusões prejudicavam muito sua atuação, ele tinha muita dificuldade para girar.
Mugni e Elano jogam parecido e tem as mesmas caracteristicas não dá para jogar junto ou um ou outro, os dois juntos o time fique estático sem movimentação e também trava a movimentação do Evérton.