quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Basquete: Ingressos à venda para fase semifinal da Liga Sul-Americana


A torcida Rubro Negra já pode adquirir os ingressos para os jogos da Liga Sul-Americana de Basquete, que acontecem na próxima semana, entre os dias 20 e 22, na Jeunesse Arena.

Confira a programação:

20/11
17h15 - Flamengo (BRA) x Instituto Cordoba (ARG)
19h30 - Minas Tenis Clube (BRA) x Bauru (BRA)

21/11
19h15 - Flamengo (BRA) x Minas Tenis Clube (BRA)
21h30 - Instituto Cordoba (ARG) x Bauru (BRA)

22/11
18h15 - Instituto Cordoba (ARG) x Minas Tenis Clube (BRA)
20h30 - Flamengo (BRA) x Bauru (BRA)


As entradas podem ser compradas separadamente ou em combo, que dá direito às três partidas, com desconto.

Quem for com o Manto Rubro Negro poderá pagar apenas R$ 25 pelos três dias ou em qualquer setor.

Clique e compre aqui.

Folha de SP: Com Maracanã, Flamengo impulsiona média de público histórica no Brasileiro

Graças ao Flamengo, o brasileiro desse ano alcançou a melhor marca desde 1987.

Confira trecho da matéria do jornal Folha de SP:



A torcida segue de parabéns e fazendo a diferença nesse ano. Até ontem já havia sido vendidos 38 mil ingressos para o jogo contra o Santos, às 17h, no Maracanã.

Em nova partilha da receita de televisão para 2019, Flamengo terá grande vantagem no PPV

Contra o risco de uma suposta espanholização no futebol brasileiro entre Flamengo e Corinthians, os clubes brasileiros brigaram e conseguiram a partilha da grana da televisão pelo modelo inglês, ou seja: 40% da receita igual para todos, 30% por posição na classificação e 30% por exibição, que já começa a valer para 2019.

No primeiro momento, todos os clubes terão direito a R$ 22 milhões, o que representa 40% do montante do ano dividido de forma igualitária. No entanto, 75% do valor será pago entre janeiro e junho e 25% entre julho e dezembro, de forma mensal.

A parcela de audiência (30%) será paga entre maio e dezembro. Por fim, os 30% referentes ao desempenho serão pagos em dezembro, ao final do campeonato.

No entanto, o Flamengo seguirá na liderança e aumentará sua vantagem em relação aos rivais.

Isso porque, no novo contrato com a TV Globo para 2019 a 2024, os clubes conseguiram a oportunidade de negociar, de forma inédita, a venda da placa no estádio, transmissão internacional e transmissão via internet

Só que Flamengo e Corinthians negociaram de forma individual a venda da publicidade estática e conseguiram R$ 12 milhões por ano, enquanto o restante aceitou a intermediação da CBF e vão levar apenas R$ 5,5 milhões.

Ainda estão em negociação para a venda da transmissão internacional, restando, por último, a implementação da transmissão via internet, um espaço praticamente sem exploração dos clubes.

A grande vantagem, no entanto, especialmente do Rubro Negro, será no pay-per-view. Serão distribuídos R$ 650 milhões, tendo os dois clubes garantidos um percentual mínimo de pelo menos 18,5%, ou seja: R$ 120 milhões. Ademais, houve mudança de pesquisa do PFC, que deixará de contar apenas os torcedores das capitais e passará a ter uma pesquisa em todas as cidades.

Na projeção realizada pela Ernest & Young, caso conquiste o título brasileiro em 2019, o Flamengo levaria cerca de R$ 300 milhões - R$ 130 milhões a mais do que recebe atualmente.

Para 2019, o Flamengo ainda terá direito a luvas de R$ 30 milhões. Em 2020 o valor será de R$ 20 milhões. Na assinatura do contrato, em 2016, o clube recebeu R$ 70 milhões, totalizando R$ 120 milhões. Nesse ponto, vale destacar a postura do atual presidente, Bandeira de Mello, em não receber esse valor todo de um vez, separando pelo menos R$ 50 milhões para o novo mandatário.

Na ânsia por uma equidade na distribuição da receita da televisão, os clubes trocaram um valor garantido anual, não importando a colocação e número de transmissão, por uma receita incerta: uma parte do dinheiro entrará apenas no segundo semestre e outra apenas em dezembro, dependendo da classificação final.

Os clubes que não se planejaram terão dificuldade para administrar as finanças no primeiro semestre, principalmente aqueles mais dependentes da grana da televisão e que usavam essa receita fixa e certa para conseguirem empréstimos bancários, visando fluxo de caixa para contratações.

Outro ponto importante: ninguém poderá abandonar o Brasileiro para disputar as Copas, como fizeram Cruzeiro e Palmeiras e até certo ponto o próprio Flamengo. A classificação final e o interesse da televisão por exibir os jogos dos times com chance de títulos, farão a diferença também em termos financeiros, além do esportivo.

Cuellar demonstra insatisfação pelo ano sem título. Já Léo Duarte afirma que a temporada não foi desastrosa


Na semana passada, em entrevista, Léo Duarte, seguindo narrativa que está impregnada no Flamengo, disse que o ano, sem nenhum título conquistado, não foi desastroso.

"Desastrosa não (a temporada). Chegamos na semifinal da Copa do Brasil, passamos de fase na Libertadores, que não vinha acontecendo, e estamos brigando pelo Brasileiro. Sou flamenguista e lembro que antes a briga era embaixo".

Inicialmente, é falácia dizer que o clube brigava para não cair todo ano. Nos últimos seis campeonatos brasileiros antes da atual gestão assumir, em quatro a pior colocação foi um quinto lugar, em 2008. Em duas edições o clube ficou em 14º e 12º.

Já com Bandeira de Mello, aí sim o Flamengo ficou ameaçado de rebaixamento. Em 2013 o Rubro Negro foi o 16º colocado.

Nessa semana, finalmente, ouviu-se uma voz dissonante. O colombiano Gustavo Cuellar pediu reflexão e que teria que reconhecer que o ano não foi bom:

"Para a grandeza do Flamengo, o balanço não é positivo. Temos que brigar pelo título e ficamos fora na Copa do Brasil, Libertadores, Estadual... O ano não é bom e temos que reconhecer. Pela qualidade do elenco, já devíamos ter ganhado algo. Temos que refletir"

O volante, que passou longos períodos na reserva, pois Márcio Araújo era inexplicavelmente a preferência do Zé Ricardo, quase foi parar no Vitória. Graças à chegada do Reinaldo Rueda, o colombiano voltou a ser titular e pôde mostrar o grande jogador que é, dentro e fora do campo.

Não deixa de ser curioso que o jogador revelado pela Gávea não se sinta incomodado com a falta de conquistas e, o volante vindo lá da Colômbia, seja claro e verdadeira ao demonstrar insatisfação por aquilo que todo torcedor já sabe: o ano não foi bom.

É essa mentalidade que o próprio Rueda tentou mudar quando esteve no Flamengo. Será missão do próximo presidente criar uma cultura vencedora e de incomodo com as derrotas, coisa que há anos não existe mais na Gávea.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Gestão: A obrigação de praticamente refundar o futebol do Flamengo para 2019

Caso a chapa de oposição vença a eleição em dezembro, terá um trabalho árduo de praticamente refundar o futebol Rubro Negro, tamanho a desfiguração atual, que vem sendo moldada ano após ano por essa (má) gestão.

O clube caminha para seu quinto ano sem um título expressivo, isso com a receita aumentando a cada temporada. É um ambiente contaminado pelo paternalismo, contratações absurdas e de tomada decisões incompatíveis com o futebol moderno.

As duas últimas são reflexos do que foi essa gestão: venda do Paquetá faltando dez rodadas para o fim do Brasileirão e a inexplicável novela do Diego Alves, que até agora não encontraram solução.

Ainda teve a espera absurda por Reinaldo Rueda, a efetivação de Carpegiani e a escolha tosca por jogar três competições ao mesmo tempo com o mesmo time titular. 

Seus dirigentes pensavam que, após três anos cortando na própria pele, investir em estrutura e contratar um punhado de jogadores seriam o suficiente. Que os títulos viriam por consequência. Que a bola entraria por acaso.

Hoje, é um Flamengo que desaprendeu a ser decisivo, a ganhar títulos. Um time resumido em um bando de acomodado, onde ninguém que ser o protagonista e a mentalidade é de chegar o mais longe possível. São jogadores que pensam que estão fazendo o suficiente ao serem ser disciplinados, que acham que estão respeitando a história do clube por bater o cartão todo dia e pegar seu milionário salário ao final do mês sem grande reclamação.

Será preciso mudar a concepção desse time. Será preciso doer na alma cada derrota. Reagir de imediato a cada dificuldade para voltar a vencer.

Para 2019, a mais importante mudança tem que ser no comando do futebol, na escolha do vice-presidente de futebol, do diretor executivo e principalmente no treinador.

domingo, 11 de novembro de 2018

NBB 2018/2019: Flamengo vence Bauru e Vasco e perde para Franca


O Flamengo começa sua semana de NBB antes da fase semifinal da Liga Sul-Americana, que será disputada nos dias 20 a 22 de novembro, no Rio de Janeiro.

Na semana passada, duas vitórias em três partidas.

Importante vitória contra o Bauru, na casa do adversário, por impressionantes 77 x 47, na melhor apresentação da equipe na temporada. Foi a menor pontuação sofrida por um clube em toda história do NBB jogando como visitante.

O Flamengo se aproveitou dos vários desfalques do time paulista: Larry Taylor, Alex, Fúlvio e Jaú. As duas equipes voltarão a se enfrentar pela Liga Sul-Americana e Alex é o primeiro desfalque confirmado.

Olivinha foi o destaque com 14 pontos e quatro rebotes. Varejão foi o segundo mais eficiente da noite com sete pontos e 11 rebotes.

Em seguida, derrota para Franca no Pedrocão por 84 x 77. Após um bom começo, o Flamengo venceu o primeiro período por 21 x 15. No segundo período apagão generalizado e virada francana. O estrago só não foi maior porque Deryk matou de três no estouro. No terceiro quarto o Rubro Negro ainda cortou a diferença para três pontos. Porém, no período final, superioridade dos donos da casa com aquela força da arbitragem, para vencer a partida.

Destaque para o grande jogo do armador Balbi anotando 15 pontos. Deryk foi o cestinha com 18 pontos.

De volta pro Rio, vitória massacrante do Flamengo contra o Vasco por 90 x 70, cuja diferença chegou a ser de mais de 30 pontos. Nos últimos 14 jogos entre os dois adversários, o time da Gávea venceu nove, sendo que venceu as últimas cinco partidas contra o time de São Januário.

Com 15 pontos de Marquinhos nos primeiros vinte minutos, o Flamengo venceu o primeiro tempo por 51 x 24. Olivinha voltou a jogar bem e foi um dos destaques no último quarto, quando anotou somente nesse período 11 pontos e apanhou sete rebotes, terminando a partida com 18 pontos e 10 rebotes.

O time de Gustavo de Conti mostra força defensiva, mas ainda tem dificuldade na variação de jogo ofensivo, ainda muito voltado nos tiros de três pontos.

Nessa semana o Flamengo volta à São Paulo e enfrentará o São José na quarta e o Paulistano na sexta. Depois, o foco é a Liga Sul-Americana de basquete que será disputado na Jeunesse Arena.

domingo, 4 de novembro de 2018

NBB 2018/2019: Flamengo 72 x 64 Corinthians


O Flamengo se recuperou da derrota para o Pinheiros na quinta-feira e, nesse sábado, venceu o Corinthians no Rio de Janeiro por 72 x 64.

Com o triunfo, a equipe lidera o NBB ao lado de Franca, ambas com o mesmo aproveitamento: cinco vitórias e uma derrota.

Mesmo jogando em casa a sequência tem sido pesada. Reflexo disso é a constante oscilação do Rubro Negro durante o próprio jogo - o que já foi notado na primeira fase da Liga Sul-Americana.

No entanto, a defesa tem sido o destaque nesse começo de campeonato. Com média de 69 pontos sofridos, o time de Gustavo de Conti possui o melhor sistema defensivo do NBB.

Marquinhos foi o cestinha com 16 pontos e cinco rebotes. Seguido de Davi com 11 pontos e Nesbitt com 10. Mineiro com nove pontos e sete rebotes e Balbi com seis pontos, seis rebotes e seis assistências também se destacaram.

A grande incógnita e decepção tem sido do Anderson Varejão, que claramente está mal fisicamente. Jogou por 14 minutos, marcou quatro pontos e apanhou sete rebotes.

Após abrir 23 x 6 no primeiro período, com ótima atuação de Nesbitt e Marquinhos, o Flamengo desmoronou no segundo, sofrendo um revés de 23 x 10.

A partida seguiu equilibrada no terceiro período: 48 x 44 para os donos da casa. Com o time da Gávea voltando a ser incisivo no último quarto, quando voltou a abrir frente e controlou o jogo para fechar em 72 x 64.

A sequência tende a piorar: na terça-feira tem jogo contra o Bauru e na quinta contra Franca, ambos em São Paulo. Depois jogo no sábado o clássico contra o Vasco, no dia 10. Depois volta pra São Paulo para enfrentar São José e Paulistano, nos dias 14 e 16 de novembro, respectivamente.

E nos dias 20 a 22 disputará o quadrangular semifinal da Liga Sul-Americana, que será no Rio de Janeiro.

terça-feira, 30 de outubro de 2018

NBB 2018/2019: Flamengo 93 x 73 Mogi


Após as três vitórias na primeira fase da Liga Sul-Americana, que garantiu a classificação para a semifinal, o Flamengo voltou as atenções para o NBB.

E na noite dessa terça-feira o Rubro Negro derrotou o Mogi, algoz da temporada passada, por 93 x 73, e segue na liderança com quatro vitórias em quatro jogos.

A próxima partida será nessa quinta-feira contra o Pinheiros, novamente na Arena Carioca, às 20h45. A equipe paulista é a terceira colocada com quatro vitórias em cinco jogos.


O JOGO

O Flamengo iniciou a partida abrindo 12 x 4 com sete pontos de Nesbitt. O atleta de Bahamas comandava as ações ofensivas com bolas de três e enterrada, anotando 11 pontos para fechar em 21 x 16.

No segundo quarto, o pior momento do Rubro Negro na partida. Com uma bola de três de José Carlos, o Mogi liderou pela primeira vez na partida: 32 x 31. E a partida seguia equilibrada, com o Flamengo se recuperando e conseguindo voltar à frente do placar com uma cesta de Jhonatan: 41 x 37.

Crescenzi inaugurou o segundo tempo com uma bola de três: 44 x 37. Com uma bola de Jhonatan o Flamengo abriu 57 x 48, forçando o adversário a paralisar a partida. Com boas participações de Mineiro, o clube da Gávea abriu sua maior frente: 60 x 50 e depois 64 x 52, para finalizar em 64 x 53.

No quarto final o show foi de Jhonatan, que matou tudo que tentou: 14/14 pontos. E o Flamengo com forte defesa e demonstrando grande força ofensiva, fechou em 93 x 73.


DESTAQUES

Jhonatan terminou com 23 pontos em 23 minutos, e ainda apanhou quatro rebotes e roubou cinco bolas. Nesbitt terminou com 15 pontos e seis rebotes. Nos rebotes, o líder foi Olivinha com sete.

Nas assistências, os armadores Balbi e Davi distribuíram 15 das 26 assistências do Flamengo na partida. O argentino ainda sete pontos e pegou sete rebotes.

domingo, 28 de outubro de 2018

Brasileirão 2018: Flamengo 1 x 1 Palmeiras

Novamente o Flamengo não conseguiu vencer uma partida decisiva no Maracanã. Nesse sábado, o time da Gávea empatou com o Palmeiras em 1 x 1 e segue a quatro pontos do líder, faltando sete rodadas.

A equipe paulista está invicta nesse segundo turno com Felipão no comando: são 16 jogos sem perder. E o tabu segue mantido: o Flamengo não vence o Palmeiras em Brasileiros desde 2014, ou em nove jogos.

Nas partidas cruciais de 2018, jogando no Rio, o Rubro Negro só conseguiu derrotar o Emelec pela Libertadores e o Grêmio pela Copa do Brasil. De resto, a equipe não superou o São Paulo, Corinthians, Cruzeiro e agora o Palmeiras.

Se voltar mais um ano, dois empates no Maracanã nas duas finais do ano passado: Cruzeiro e Independiente.

Por mais que Dorival tenha feito do Flamengo um time mais agressivo, com força ofensiva, que havia feito 10 gols em três jogos, ainda carece de jogadores decisivos.

Faltou também entrar no jogo de forma mais incisiva, mais violento, aproveitando-se da euforia da torcida, que lotou o Maracanã. O Rubro Negro, que teve a semana livre de treinamento, não conseguiu incendiar a partida. Era tudo que o adversário queria.

O Palmeiras segue a tônica pobre do futebol brasileiro: veio para se defender, não quis a posse de bola e para jogar por um gol. Além de fazer cera e retardar a partida até não quer mais. Segundo estatísticas, a bola ficou parada em 60% do jogo. Ou seja, de futebol mesmo foram pouco mais de 42 minutos.

Isto tudo sob uma arbitragem conivente com o anti-futebol. Não teve erro sério por parte do juiz, mas teve a conivência de não impedir esses números absurdos.

O Flamengo talvez seja um dos poucos times que escolhe propor o jogo, que quer construir as jogadas para buscar seu gol. Será sempre seu estilo - o que não pode ser confundido com posse de bola infrutífera. E, a partir daí, o elenco precisa ser pensado e formado: ter jogadores decisivos, que queiram ser protagonistas, que consigam uma jogada surpreendente, individual, quebrando o futebol reativo do adversário.

Evidente que o gol perdido do Paquetá será difícil de ser esquecido. Seria a virada dos sonhos, que colocaria o Maracanã abaixo, baixaria a diferença para um ponto e repetiria o Boca Jrs que, em poucos minutos, fez dois gols no final da partida contra o Palmeiras.

Não foi por essa isolada de Paquetá que o Flamengo deixará de ser campeão. O título foi comprometido pelos erros durante o campeonato quando a equipe era líder com boa vantagem e tudo foi perdido após a Copa do Mundo.

Por fim, uma das mudanças positivas de mentalidade da torcida é o fato de ninguém mais ficar satisfeito com vaga pra Libertadores. Coisa típica de anos atrás. Se não vier o título, é fracasso. Mais um, dessa gestão, que não vence nada de relevante no futebol há cinco anos.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Liga Sul-Americana de Basquete: Flamengo 86 x 72 Welcome


O Flamengo garantiu o primeiro lugar do seu grupo ao derrotar o Welcome do Uruguai por 86 x 72, pela Liga Sul-Americana de Basquete.

Com a posição, o Rubro Negro disputará entre os dias 20 a 22 de novembro a fase semifinal, jogando contra Bauru (sem Alex e Larry Taylor), Instituto de Córdoba da Argentina e Minas. Apenas o primeiro garante a vaga para a grande final, que será disputada em melhor de três jogos.

O Rio de Janeiro deverá sediar essa fase.

Do outro lado estão: Franca, Olimpia, Libertad e Quimsa.

O mais eficiente da noite foi Marquinhos com 17 pontos, seis rebotes e quatro assistências. Anderson Varejão terminou com 13 pontos e 10 rebotes. Nas assistências, Deryk e Balbi distribuíram cinco cada uma.


O JOGO

O Flamengo fez seu melhor primeiro quarto da competição. Com aproveitamento na casa de 60% na linha de três pontos, uma defesa sufocante e Marquinhos e Rafael Mineiro com as mãos calibradas, o Rubro Negro abriu 14 x 4 e finalizou com 25 x 11.

No segundo período, Rafael Mineiro iniciou ampliando a diferença. Com uma bola de três de Jhonatan e novamente uma cesta de Rafael Mineiro, o Flamengo abriu sua maior frente: 38 x 20. Teria sido um primeiro tempo perfeito, se não fosse a bobeada no final, que baixou a diferença para 13 pontos: 43 x 30.

Por não ter matado e definido o jogo nos primeiros vinte minutos, o Welcome acreditou que tinha campo para buscar a reação. Mesmo após o Flamengo fazer 5 x 0 e ampliar para 48 x 30, o adversário conseguiu uma corrida e baixou a vantagem para apenas cinco pontos: 55 x 50, faltando pouco mais de um minuto.

Novamente o Flamengo soube reagir. Varejão matou de três pontos e Marquinhos converteu dois lances livres para tranquilizar e fechar em 60 x 50.

Passado o momento de turbulência, o Rubro Negro voltou para o último quarto e conseguiu imprimir um ritmo forte e, com uma bola de três de Deryk, voltou a abrir frente: 70 x 55 e com tranquilidade fechou em 86 x 72.

Aqui, o desempenho completo de todo elenco do Flamengo nessa primeira fase: